Dia-a-dia de um distrito rural, doze concelhos e meia dúzia de pequenas cidades encravadas nas montanhas mais a norte de Portugal
20 de Abril de 2009

 A delegada sindical Maria Eduarda, operadora da central de telecomunicações dos Bombeiros de Mirandela, foi alvo de um processo disciplinar e de despedimento depois de ter denunciado o mau ambiente de trabalho que se vive naquela corporação. A sindicalista foi despedida pela direcção por ter denunciado a perseguição a trabalhadores, a falta de pagamento de horas extraordinárias e de concessão de folgas.

Em Fevereiro, quatro bombeiros contratados da Associação Humanitária de Mirandela apresentaram queixa no Tribunal de Trabalho contra a direcção pela alegada falta de pagamento de horas suplementares e de concessão dos dias de folga, bem como de perseguição e coacção através de processos disciplinares e suspensões. A operadora de telecomunicações, Maria Eduarda, confirmou a situação a vários órgão de comunicação social afirmando que “vários colegas motoristas têm sido vítimas de perseguição” e que o ambiente de trabalho se tinha vindo a degradar devido à “divisão entre os que exercem a profissão e os voluntários do corpo activo”. A sindicalista disse ainda que alguns dos bombeiros estavam a ser “humilhados, maltratados e desrespeitados” e relatou que os quatro bombeiros em causa já tinham sido alvo de um processo disciplinar interno por, alegadamente, terem entregue os telemóveis da Associação que serviam para estar sempre disponíveis para chamadas de emergência.

 Na altura o presidente da direcção dos Bombeiros não quis prestar declarações sobre o caso. O despedimento da delegada sindical já foi contestado pelo Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local. O sindicato considera que esta atitude da direcção vem confirmar as acusações da delegada sindical e já contestou junto da direcção aquilo que considera ser uma atitude que “contraria os mais elementares princípios da vivência democrática e dos direitos dos trabalhadores”.

Em informação à comunicação social, o Sindicato diz que irá levar a cabo todas as medidas possíveis e necessárias para que “seja reposta a legalidade” através da reintegração da trabalhadora. O sindicato pede ainda a punição dos responsáveis pelo “ignóbil acto repressivo”.

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

últ. comentários
obrigado Cris:)
Bem vinda :))
Helder Fráguas sofreu a perda da sua companheira, ...
Para mim e para muita gente a volta às adegas para...
Estou habituado na leitura de blogs on line, adoro...
me llamo fedra soy de santa fe argentina tengo 9 ...
Carissimos,Eu não sei quem inseriu o comentário em...
todos os comentários estão disponíveis e vísiveis.
Como faço para ler os outros comentários ? Ou esse...
deixo aqui o meu comentário; por acaso pude apreci...
subscrever feeds
pesquisar neste blog
 
Abril 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
13
26
blogs SAPO