Dia-a-dia de um distrito rural, doze concelhos e meia dúzia de pequenas cidades encravadas nas montanhas mais a norte de Portugal
12 de Janeiro de 2009

A Aerovip começou hoje a operar na linha área regional.

A empresa de aviação assegura que não terá condições financeiras para garantir voos se estiver mais de seis meses sem receber o subsídio do Governo.

O contrato, assinado na passada quinta-feira, é válido até 2011 e a Aerovip vai receber mais de dois milhões de euros por cada ano.

 

É a primeira vez que esta empresa faz linhas regulares e o presidente do conselho de administração revela que no primeiro ano quer atingir os 75% de taxa de ocupação.

“Sabemos que temos possibilidades de encher o avião” afirma Pedro Leal. “No caderno de encargos a ocupação é de 55% mas nós vamos tentar atingir mais e os nossos objectivos rondam os 75% no primeiro ano” acrescenta o responsável.

 

A Aerovip vai operar com os aviões Dornier que adquiriu à Aerocondor, a antiga empresa de aviação a quem o Governo retirou a concessão.

Os aviões têm 19 lugares, mas a linha foi concessionada para 18.

Ainda assim, Pedro Leal salienta que no Verão número de lugares vai ficar limitado a 15. “É por causa do calor, porque a densidade do ar é diferente” refere, explicando que “à linha de água a densidade é mais forte e por isso precisamos de mais pista para o avião descolar”.

 

A Aeronorte, a empresa que terminou o contrato de prestação de serviços na passada sexta-feira e que operou durante oito meses, queixou-se do atraso do pagamento do subsidio por parte do Governo.

A nova operadora diz que se estiver mais de seis sem receber, vão poderá continuar a assegurar a ligação.

“É lógico que nós não estamos preparados para estar à espera mais tempo do que aquilo que está publicado no caderno de encargos” avisa Pedro Leal. “Nós temos 90 dias para apresentar um relatório que depois é apreciado pelas entidades competentes e depois há mais 90 dias para fazer a liquidação dos primeiros três meses” explica o presidente do conselho de administração da Aerovip salientando que estar à espera “mais do que isso é insuportável porque estamos a falar em seis meses”.

 

Os horários dos voos e o preço dos bilhetes mantêm-se.

A Aerovip assegura ainda os postos de trabalho que já existiam.

Os pilotos são os mesmos que operavam com a Aerocondor.

publicado por Lacra às 10:32
últ. comentários
obrigado Cris:)
Bem vinda :))
Helder Fráguas sofreu a perda da sua companheira, ...
Para mim e para muita gente a volta às adegas para...
Estou habituado na leitura de blogs on line, adoro...
me llamo fedra soy de santa fe argentina tengo 9 ...
Carissimos,Eu não sei quem inseriu o comentário em...
todos os comentários estão disponíveis e vísiveis.
Como faço para ler os outros comentários ? Ou esse...
deixo aqui o meu comentário; por acaso pude apreci...
pesquisar neste blog
 
Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
17
25
blogs SAPO