Dia-a-dia de um distrito rural, doze concelhos e meia dúzia de pequenas cidades encravadas nas montanhas mais a norte de Portugal
28 de Dezembro de 2008

 A evolução histórica de Freixo de Espada à Cinta, desde a formação geológica de toda aquela zona, há 470 milhões de anos, até ao século XX, está retratada em Museu, naquele que é o primeiro espaço museológico da vila. O Museu do Território e da Memória foi inaugurado no passado dia 20 de Dezembro e compila os vários momentos históricos daquele concelho.

Instalado num edifício do século XV, que chegou a ser a antiga Casa da Cadeia, o Museu do Território conta com um espólio que se deve, sobretudo, aos freixenistas, como afirmou o autarca local, José Santos.

“Há aqui um grande espólio que foi doado pelos freixenistas ao Museu e acredito que mais doações serão feitas”.

O espaço é da tutela da autarquia e representou um investimento de 100 mil euros, comparticipados pelo programa Leader+.

Fotografias de Freixo, datadas do início do século, antigos berrões, moedas do tempo dos reis, utensílios agrícolas já desgastados pelo tempo, são apenas alguns dos objectos que o Museu do Território e da Memória tem para mostrar e que foram ou encontrados em prospecções arqueológicas ou faziam parte do acervo e colecções de famílias de Freixo. Ao mesmo tempo, o espaço alberga ainda importantes referências históricas do concelho, como é o caso do painel dedicado à gravura rupestre de Mazouco, o “Cavalo de Mazouco”, ou à “Fraga do Gato”. O objectivo da autarquia é vir a fundar, num futuro próximo, pólos museológicos nas freguesias do concelho, interligados a este primeiro museu, para que os visitantes possam assim percorrer o território freixenista.

Também é intenção da autarquia criar na vila outros espaços museológicos complementares, como é a Casa de Guerra Junqueiro, “Freixo Medieval” e o Museu dos Missionários e Navegadores.

A Casa de Guerra Junqueiro será instalada na antiga casa do poeta uma vez que, hoje em dia, é uma casa que se encontra fechada e sem qualquer espólio. A câmara quer, com a abertura do espaço, fazer regressar à vila do poeta o seu quarto e outros objectos que actualmente se encontram no Museu Abade Baçal, em Bragança.

Já o Museu Freixo Medieval será instalado na Torre Heptagonal do Castelo Medieval de Freixo, uma das mais antigas fortalezas da região transmontana.

O Museu dos Missionários e dos Navegadores será instalado no antigo Convento de S. Filipe de Nery e será um espaço eminentemente tecnológico que explicará aos visitantes os caminhos dos missionários e navegadores freixenistas que percorreram o mundo.

A câmara assinou ainda um protocolo com a Diocese de Bragança-Miranda e com a Associação Terras Quentes para a inventariação do património religioso do concelho.

publicado por Lacra às 08:14

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

últ. comentários
obrigado Cris:)
Bem vinda :))
Helder Fráguas sofreu a perda da sua companheira, ...
Para mim e para muita gente a volta às adegas para...
Estou habituado na leitura de blogs on line, adoro...
me llamo fedra soy de santa fe argentina tengo 9 ...
Carissimos,Eu não sei quem inseriu o comentário em...
todos os comentários estão disponíveis e vísiveis.
Como faço para ler os outros comentários ? Ou esse...
deixo aqui o meu comentário; por acaso pude apreci...
subscrever feeds
pesquisar neste blog
 
Dezembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
21
blogs SAPO