Dia-a-dia de um distrito rural, doze concelhos e meia dúzia de pequenas cidades encravadas nas montanhas mais a norte de Portugal
04 de Junho de 2010

 

O município de Alfândega da Fé está a proceder à entrega das empresas municipais a privados como forma de diminuir as dívidas e regularizar a situação financeira da câmara municipal.

A queijaria que fazia parte da Empresa de Desenvolvimento Económico (EDEAF) já passou para a mãos da Cooperativa Agrícola que, agora, é responsável pela sua gestão. Já a Alfapack, também da EDEAF, será extinta e o seu equipamento passará para o espaço da Cooperativa de forma a que esta instituição fique responsável pelo embalamento, não só dos produtos dos associados mas também dos produtores de azeite do concelho e de fora do concelho, conforme explicou a presidente da câmara, Berta Nunes.

“O equipamento da Alfapack passará para a cooperativa, até porque a EDEAF não tem espaço, mas continuará a dar resposta aos pedidos que tem porque, neste momento, já está a embalar para Vila Flor, Mirandela e outros concelhos”.

A Alfadoce, a partir desta semana, passa a pertencer à empresa 100% Trás-os-Montes, enquanto a Alfamel aguarda pelo decorrer do concurso.

Esta foi a fórmula encontrada pela autarquia para regularizar a situação financeira daquelas empresas e viabilizar a EDEAF. A mesma fórmula será também aplicada à Alfandegatur, a empresa municipal que gere o Hotel SPA de Alfândega da Fé, situado na serra de Bornes.

Embora neste momento a empresa esteja em melhor situaçao financeira, tendo duplicado a facturação e com uma taxa de ocupação que tem sido superior a 70 porm cento, Berta Nunes continua a defender a gestão privada.

“Não é vocação da câmara gerir empresas municipais, pelo menos um Hotel SPA. Essa não é a função da autarquia que tem de se concentrar em outras actividades, até pela situação financeira que tem”, apontou.

Ao longo destes seis meses, a autarquia realizou no empreendimento obras de manutenção e recuperação. Com uma situaçao financeira mais estabilizada e uma dívida de dois milhões cujo pagamento está a ser estudado para ser efectuado em 20 anos, reduzindo os encargos mensais, Berta Nunes acredita que muitos interessados irão aparecer.

“Penso que será a altura de passar para privados que tenham um bom projecto de viabilidade e de futuro”, disse, sublinhando que o empreendimento não será entregue sem algumas garantias.

“Não queremos entregar a Alfandegatur a qualquer grupo. Tem de ser um grupo com experiência na área do turismo e que nos dê garantias que aquele investimento, que ali foi feito pela autarquia ao longo dos anos, vai ter futuro e vai ser rentabilizado, criando emprego e riqueza na região”.

Apesar do interesse já demonstrado por alguns privados, o município fará o lançamento de um concurso dando oportunidade a todos de apresentarem propostas e tornando o processo “mais transparente”.

 

publicado por Lacra às 09:37
03 de Junho de 2010

O Parque Biológico de Vinhais libertou, na semana passada, uma Águia de Asa Redonda que tinha sido recuperada pelo Centro de Recepção, Acolhimento e Tratamento de Animais Selvagens (CRATAS) da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD). A ave esteve em recuperação desde o mês de Novembro do ano passado depois de ter sido vítima de um disparo que lhe provocou uma lesão no cúbito. A Águia foi recolhida pelo Serviço de Protecção da Natureza e do Ambiente da GNR e teve de ser alimentada para atingir o peso adequado e realizar treinos de voo e de caça.

A águia-de-asa-redonda é uma das aves de rapina mais comuns em toda a Europa, sendo a águia mais frequente em Portugal. Apesar de ser uma espécie abundante, há sérios riscos que constituem uma ameaça como seja a electrocussão, o abate e cativeiros ilegais, a pilhagem de ninhos, incêndios florestais e atropelamento.

O dia da libertação desta ave foi aproveitado para uma visita da escola pré-primária de Vila Flor ao Parque Biológico de Vinhais, onde se realizou ainda uma palestra sobre a fauna e o trabalho desenvolvido pelo CRATAS.

O CRATAS recebe animais de toda a região norte de Portugal e tem como objectivo principal a reintegração destes no seu habitat natural. O Centro funciona ao longo de todo o ano, assegurando a recepção dos animais selvagens a qualquer hora do dia, garantindo assistência imediata e um acompanhamento em permanência por parte de um médico veterinário. 

publicado por Lacra às 10:23
01 de Junho de 2010


Volvidos 120 anos, os Bombeiros Voluntários de Bragança (BVB) são considerados uma das corporações mais rejuvenescidas do país, a média de idades é de 24 anos, integrando também um grande número de licenciados. José Fernandes, 52 anos, major do Exército, comandante desde 2004, atribui o rejuvenescimento qualificado à vasta oferta formativa na área dos cursos de Saúde no distrito. "Muitos estudantes vêm para os bombeiros fazer uma aprendizagem mais prática", referiu.

O comandante está convicto de que os BVB se destacam em qualquer lugar. Lutam para estar entre os melhores. "Os segundos são os primeiros dos derrotados, queremos ser e estar entre os melhores, já demos provas disso", garantiu José Fernandes.

 

Várias actividades

Apesar de o trabalho dos bombeiros estar associado ao combate aos incêndios florestais, esta actividade ocupa apenas 5% da sua actividade. Fazem muitos outros serviços, nomeadamente, o socorro que os ocupa 24 horas, 365 dias por ano. "Não tem hora marcada, nunca perguntamos quem é, mas sim onde é, para chegar rápido", frisou. Há ainda a actividade de transporte e socorro de doentes do Instituto Nacional de Emergência Médica e apoio ao aeródromo. No Verão, levam água às aldeias quando há problemas de abastecimento, dispondo de quatro auto tanques.

Quando tudo falha, os bombeiros estão no terreno. No Inverno, quando caem nevões, o seu apoio é fundamental: distribuem refeições aos centros sociais, levam medicamentos a idosos e transportam pessoas para fazer exames médicos e tratamentos dentro e fora da região.

Os BVB estão ainda a dar apoio ao combate de incêndios em várias aldeias espanholas junto à fronteira, no município de Trabazos (Zamora).

2,5 milhões por ano

O orçamento anual da corporação é grande, "cerca de 2,5 milhões de euros", admite Rui Correia, presidente da Associação Humanitária. O dinheiro provém de protocolos com a Câmara, Autoridade Nacional de Protecção Civil, Santa Casa, mas a maior fatia, cerca de 70% do orçamento anual, é resultado do pagamento de serviços prestados. A direcção garante que não enfrenta dificuldades de maior. "Nunca se tem tudo, mas temos o necessário", afirmou José Fernandes.

 

Fonte: JN

Foto: Carla A. Gonçalves

publicado por Lacra às 13:42

O Grupo Desportivo de Bragança (GDB) regressa já na próxima temporada à II Divisão, depois de, no passado domingo, ter empatado a zero com o Mirandela, resultado que valeu a conquista do objectivo maior da actual direcção do Clube. Depois do apito do árbitro, numa partida em que os “canarinhos” sofreram bem mais do que o esperado, foi a festa total, com invasão de campo incluída, muitos abraços, algum vinho espumoso e muitos apitos pela capital nordestina, que saiu à rua para celebrar com a sua equipa. Quanto ao jogo, impróprio para cardíacos, o Mirandela saiu da capital nordestina com um travo amargo na boca, uma vez que, em boa verdade, os mirandelenses jogaram melhor o jogo da subida, perdendo duas ou três boas ocasiões de golo, ante um adversário que quase nunca soube o que fazer à bola. Mas como em futebol quem joga melhor nem sempre ganha… os deuses acabaram por proteger os comandados de Carlitos e, no final, a festa fez-se em Bragança. Tony foi o primeiro a falhar, logo ao minuto um, quando apareceu isolado a rematar dentro da área uma bola bombeada da esquerda, mas não deu a direcção desejada ao remate e perdeu-se uma boa ocasião de golo. O lance parecia anunciar uma grande primeira parte, mas na verdade só voltou a haver emoção mais de 20 minutos depois, quando Rui Lopes atirou uma bola à barra de Ximena, aproveitando muito bem uma ressaca da área. Em cima do intervalo, Xavier, no segundo poste, atirou ao lado, de cabeça, com as bancadas todas de pé a celebrar o primeiro dos locais. A bola não entrou e, em boa verdade, o nulo era o resultado mais justo, uma vez que as duas equipas pouco criaram ao longo de toda a primeira etapa. No reatamento, e depois da saída de Mobil, que entretanto se lesionara, Vaguinho voltou a assustar os brigantinos, com um remate forte à baliza de Ximena, que acabou, mais uma vez, na barra local, corria o minuto treze de jogo. A sete minutos do termo da partida, novo susto para os brigantinos, com uma bola a tocar o poste da baliza de Ximena, depois de um cruzamento de Rui Borges. Vaguinho terá conseguido a emenda para baliza local, mas sem sucesso. No final, aproveitando o desespero dos mirandelenses, os brigantinos ainda poderia ter chegado ao golo, mas o nulo acabou por prevalecer, numa partida melhor na segunda etapa e com um Mirandela bem acima do habitual (daí a justificável frustração dos seus jogadores). O GDB sobreviveu herculeamente num jogo onde não soube, muitas vezes, o que fazer…

Manuel Martins continua à frente do GDB na II

Manuel Martins e Carlitos, respectivamente presidente e treinador do GDB, ainda não pensam, seriamente, no futuro a curto prazo, depois da conquista do segundo lugar e consequente subida de divisão, mas deixaram algumas pistas no rescaldo do empate com o Mirandela. “Isto é um sentimento de grande alegria. Este grupo de trabalho é fantástico. Esta subida tem muito a ver com o trabalho que esta direcção fez… o mais importante era que o Bragança subisse, agora vamos ter tempo para conversar, vamos ver, há algumas propostas de outros clubes, mas não posso esquecer como aqui fui tratado, na hora de escolher o meu futuro clube!”, disse o treinador. Manuel Martins cumpriu o sonho de há alguns anos, levando o GDB à II, e será, pelas suas palavras, o próximo presidente da colectividade, nas eleições que acontecerão já no final deste mês. “Estes atletas salvaram o Clube de deixar de competir… acompanharam-me nos momentos difíceis, foram gente com muita honestidade e mostraram em campo aquilo que valem. Agora vamos festejar, depois tudo farei para não abandonar estes jogadores...”, referiu.

Ficha do Jogo

GDB 0 – Mirandela 0

Estádio Municipal de Bragança

GDB: Ximena (amarelo aos 83’), Rui Gil, Tony (Badará aos 65’), Mobil (Fábio Pinto aos 54’), Mirco, Luís Rodrigues (amarelo aos 34’), Saná (Valadares aos 79’), Xavier, Jaime, Pedrinha (amarelo aos 28’) e Pinhal.

Suplentes: Zé Luís, Carlitos, Capelo e Valentim.

Mirandela: Norinho, Jonas (Macktar aos 46’), Cristian, Rui Lopes, Vaz Té (amarelo aos 51’), Rui Borges, Adriano, Álvaro (Ivo Calado aos 73’), Vaguinho (amarelo aos 31’) , Nelo e Wigor.

Suplentes: Neto, Breno, Claudemir, José Luís e Aires

Treinador: Luís Guerreiro

Árbitro: Carlos Duarte

Assistentes: Daniel Santos e Jorge (AF Porto)

 

Fonte: Mensageiro Notícias

publicado por Lacra às 10:10
últ. comentários
obrigado Cris:)
Bem vinda :))
Helder Fráguas sofreu a perda da sua companheira, ...
Para mim e para muita gente a volta às adegas para...
Estou habituado na leitura de blogs on line, adoro...
me llamo fedra soy de santa fe argentina tengo 9 ...
Carissimos,Eu não sei quem inseriu o comentário em...
todos os comentários estão disponíveis e vísiveis.
Como faço para ler os outros comentários ? Ou esse...
deixo aqui o meu comentário; por acaso pude apreci...
subscrever feeds
pesquisar neste blog
 
Junho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
13
16
19
20
26
30
blogs SAPO