Dia-a-dia de um distrito rural, doze concelhos e meia dúzia de pequenas cidades encravadas nas montanhas mais a norte de Portugal
26 de Agosto de 2009

Tem 62 anos, é professor universitário e é natural de Penafiel, mas vai candidatar-se a deputado pelo círculo eleitoral de Bragança. A escolha foi de Manuela Ferreira Leite mas o candidato explica, num vídeo colocado online, as motivações que o levaram a aceitar o convite, pese embora não seja da região transmontana.

“Hoje assistimos a uma repetição de uma onda de emigração grave e extensa que atinge, particularmente, o Norte do país e os concelhos do interior. A minha expectativa é a de poder contribuir para alterar o rumo do país”, diz o candidato.

A mensagem tem uma duração de pouco mais de minuto e meio e resume as prioridades de Ferreira Gomes à “alteração de políticas” que permita a “sustentabilidade da sociedade”, travando fenómenos de emigração e consequente despovoamento do Norte e do interior.

“Quero contribuir para que Portugal possa acolher os meus filhos de uma maneira que hoje não me parece provável que aconteça”, finaliza Ferreira Gomes.

Natural de Penafiel, o candidato é professor catedrático de Química na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto e membro do Centro de Química daquela universidade. A sua escolha foi já contestada no seio da distrital do PSD uma vez que Ferreira Gomes não tem qualquer ligação ao distrito de Bragança.

José Silvano, presidente da Assembleia Distrital do partido, tinha mesmo enviado uma moção à direcção nacional rejeitando a imposição de um cabeça de lista que não fosse da região, o que levou também António Branco, um dos nomes da lista, a abdicar do lugar.

Outro dos discordantes da escolha de Ferreira Leite foi o presidente da autarquia de Bragança, Jorge Nunes, que defendeu que os deputados deveriam ser eleitos directamente por quem os representa.

Já o presidente da distrital e segundo lugar da lista de candidatos à Assembleia, Adão Silva, preferiu apenas comentar que não era regra do partido que os candidatos fossem pessoas “entrosadas no distrito” e acredita que não será esse factor a condicionar os resultados eleitorais.

Amanhã é provável que o candidato esteja em Bragança, na apresentação oficial da lista do PSD às legislativas.

publicado por Lacra às 14:33

A autarquia de Vimioso desafia o Instituto de Conservação da Natureza e Biodiversidade (ICNB) a deslocar-se ao concelho para verificar “in loco” a situação em que se encontra o rio Maçãs e o rio Angueira, as duas únicas fontes de reserva de água da localidade.

Actualmente, segundo o autarca, José Rodrigues, os dois rios encontram-se praticamente secos, o que está a conduzir a deixar sem água quase metade do concelho de Vimioso. As localidades mais afectadas, para já, são Argozelo, Carção, Santulhão, Avinhó, Matela e Junqueira. No entanto, se continuar sem chover, a situação poderá estender-se às restantes freguesias.

A câmara está, por isso, a ponderar estabelecer uma parceria com o concelho vizinho de Miranda do Douro no sentido de ir retirar água ao rio Douro. A “solução” não agrada ao executivo mas é a “possível”  face aos condicionalismos impostos pelo ICNB às alternativas já apresentadas para a resolução do problema.

A falta de água no verão é um problema que afecta Vimioso há já vários anos e que, segundo José Rodrigues, poderia ser resolvido com a construção de uma mini-hidríca no rio Angueira e com o alteamento de dois açudes no rio Angueira e no Maçãs. Os projectos já foram apresentados ao ICNB mas têm sempre sido chumbados devido aos condicionalismos inerentes a locais classificados como Rede Natura 2000. Segundo o autarca, o ICNB só aprovaria os projectos com determinadas condições que não servem os interesses das populações porque não resolveriam o problema da seca.

“O ICNB apontou limitações ao nosso projecto e, dessa forma, a situação fica na mesma. O melhor seria que viessem ao terreno ver como estão os rios Angueira e o Maçãs para terem noção da realidade”, apontou o autarca.

José Rodrigues assume mesmo estar “revoltado” com a posição do ICNB já que, para além dos prejuízos para as populações afectadas, há riscos para a fauna local, nomeadamente para a fauna piscícola.

Desde a semana passada que a vila de Argozelo e algumas aldeias estão a ser abastecidas com recurso a auto-tanques dos Bombeiros naquilo que o autarca classifica como “um verdadeiro crime ambiental”.

Recorde-se que também no concelho de Bragança há várias freguesias a ser abastecida por auto-tanques dos Bombeiros, uma situação que se repete ano após ano, por altura do Verão, um pouco por todo o Nordeste Transmontano.

25 de Agosto de 2009

No próximo dia 1 de Setembro a Comissão das Petições do Parlamento Europeu vai analisar uma queixa apresentada pela Plataforma Sabor Livre contra a construção da barragem do Baixo Sabor. A informação foi avançada por uma delegação do Parlamento Europeu que, na terça-feira, esteve em Portugal.

A obra está já adjudicada e em construção, mas os ambientalistas têm esperanças que a situação possa ser revertida até porque defendem que em causa está a “contradição com as várias disposições da legislação europeia, particularmente as directivas Aves e Habitats”.

Por seu lado, o Governo defende que a barragem do Baixo Sabor vai ajudar o país a reduzir as emissões de CO2, aumentando a energia eléctrica baseada em fontes renováveis e permitindo a redução das importações de petróleo.

 O empreendimento é também defendido pela autarquia local e pela promotora, a EDP, que estabeleceu como contrapartida da construção a entrega de 500 mil euros anuais, durante a construção da infra-estrutura e durante os 75 anos de exploração, à entidade gestora de um fundo que será aplicado para o desenvolvimento da região.  

Por seu lado, a Plataforma Sabor Livre lembram que a barragem está projectada para um local que é classificado como Rede Natura 2000 e afirmam que as consequências ambientais serão superiores aos alegados benefícios. Os queixosos pedem, por isso, à Comissão Europeia que não atribua fundos estruturais à construção do empreendimento hidroeléctrico e que exerça pressão sobre as autoridades portuguesas para que suspendam o projecto.


A Polícia Judiciária Militar (PJ-M) está a investigar um ataque com ácido praticado contra um radar fotográfico do Destacamento de Trânsito da GNR de Bragança, que foi dado ontem como inoperacional. 

O radar foi, por decisão do Destacamento de Trânsito de Bragança, atribuído a uma equipa que detecta e pune contra-ordenações. Ontem, os patrulheiros encarregues de caçar ‘aceleras’ detectaram, ao abrir a mala onde o radar está guardado, que o mesmo estava húmido. A equipa regressou ao quartel, tendo informado superiormente o sucedido. O radar foi analisado e dado como inoperacional.

Foram recolhidas amostras do líquido que o danificou, ao que tudo indica ácido, e a investigação está entregue à PJ-M, que averigua crimes praticados em instalações militares. A GNR confirmou ao CM que vai abrir averiguação aos factos.

 

Fonte: Correio da Manhã

publicado por Lacra às 09:35
24 de Agosto de 2009

publicado por Lacra às 16:49

 O incêndio que arde desde a tarde de domingo em Calvelhe, no distrito de Bragança, já consumiu mais de mil hectares, disse o governador civil do distrito, Vítor Alves.

Este é o maior fogo deste ano no distrito de Bragança.

O incêndio deflagrou ontem, pelas 14h00, e está neste momento dado como circunscrito pela Autoridade Nacional de Protecção Civil.

No terreno estão 137 bombeiros, apoiados por 25 viaturas e três meios aéreos.

O governador civil Vitor Alves explica que o vento e da falta de acessos estão a dificultar as operações de combate às chamas.

 

publicado por Lacra às 16:26

 Três meios aéreos estão a combater o incêndio que está por controlar, desde a tarde de domingo, em Calvelhe, concelho e distrito de Bragança.

Segundo a Autoridade Nacional de Protecção Civil (ANPC), o incêndio, que teve início às 14:04h de domingo, numa zona de mato, e que apresenta duas frentes activas, está a ser combatido por 77 bombeiros, apoiados por 22 veículos e três meios aéreos.

 

publicado por Lacra às 11:28

Direcção clínica do centro Hospitalar do Nordeste, em Bragança, diz que, pelo menos, 80 pessoas deixaram de realizar operações às cataratas nos primeiros meses do ano devido a atrasos na distribuição do correio.

O Gabinete de Comunicação e Imagem dos CTT  desconhecer a situação e não ter qualquer reclamação nesse sentido, mas o director clínico do Centro Hospitalar do Nordeste (CHNE), Sampaio da Veiga, afirma terem sido os próprios doentes a comunicarem aos serviços hospitalares que não receberam as cartas a tempo.

"Começámos a ficar preocupados quando verificámos que estavam a faltar alguns doentes que já tinham feito todos os exames de preparação. Tentámos saber os motivos e a resposta foi que não tinham recebido a carta a tempo", afirmou.  

De acordo com o director clínico, "nos primeiros cinco meses do ano, faltaram 80 doentes".  

Segundo explicou Sampaio da Veiga, estes doentes fazem primeiro vários exames de preparação e alguns dias ou semanas depois são chamados para a operação às cataratas.  

O director clínico garantiu à Lusa que a comunicação da data é feita "em correio azul e com, pelo menos, oito dias de antecedência".  

"Tendo em conta que o Correio Azul deve chegar no dia seguinte, seria mais do que suficiente", considerou.  

As 80 faltas equivalem a meio mês de operações que deixaram de ser realizadas sem possibilidade de substituir os doentes por outros em lista de espera.  

O CHNE decidiu não formalizar queixa ou reclamação junto dos CTT e, em vez disso, reforçar os mecanismos de aviso aos utentes.  

Segundo o director clínico, "agora, para além de enviarmos as cartas, telefonamos também na véspera da cirurgia a confirmar", embora, como disse, a solução nem sempre seja fácil.  

A maioria da população é idosa e nem sempre tem telefone em casa ou usa o telemóvel, o que obriga o centro hospitalar a recorrer algumas vezes ao telefone público ou de amigos ou familiares.  

O Gabinete de Imagem dos CTT informou que "não tem em Bragança nenhuma reclamação, nem nada para entregar" relativamente à referida correspondência.

Garante também que nesta região, o Correio Azul "segue os padrões de qualidade do resto do país, com 95 por cento de entregas dentro do prazo".

A empresa de Correios refere ainda que "não há nenhuma maneira de saber quando as cartas foram enviadas ou recebidas", o que só é possível de esclarecer no caso de serem registadas e com aviso de recepção.

O director clínico do CHNE, Sampaio da Veiga, alerta para as implicações para doentes afectados, que perdem a vez e têm de aguardar mais algum tempo até ser marcada nova cirurgia.

O tempo de espera para uma cirurgia oftalmológica diminuiu de mais de um ano para menos de quatro meses no CHNE com a abertura, em 2008, do centro de cirurgia de ambulatório, na unidade hospitalar de Mirandela.

Segundo Sampaio da Veiga, o novo espaço, que serve todo o distrito, permitiu duplicar o número de cirurgias, realizando-se actualmente dez por dia, graças também à contratação de mais três especialistas.

 

Fonte: Lusa

 

Nota: É verdade que os CTT em Bragança funcionam mal, é um facto que qualquer pessoa pode facilmente comprovar. Basta enviar uma carta em correio azul e verificar quando esta chega ao destinatário. Os CTT em Bragança prestam um mau serviço desde há muito tempo e não assumem esse erro, preferem permanecer no erro.


 Em Bragança, as chamas continuam por circunscrever em Calvelhe. Este incêndio, que deflagrou às 14h04 de ontem, está a ser combatido por 84 homens, apoiados por 25 veículos, dois helicópteros e um helicóptero bombardeiro pesado. Às 08h35, este incêndio que consome uma área de mato, tinha duas frentes activas.

publicado por Lacra às 09:45

"Só a vitória do PSD nas legislativas pode salvar a Linha do Tua".  É a convicção manifestada pelo presidente da empresa Metro Ligeiro de Mirandela (MLM), um ano após o último acidente naquela via-férrea.

Recorde-se que, no dia 22 de Agosto de 2008, um novo descarrilamento naquela linha provocou um morto (a quarta vítima em ano e meio) e levou o Instituto de Mobilidade e Transportes Terrestres a encerrar o troço entre o Tua e o Cachão, situação que ainda se mantém. José Silvano acredita que a decisão está tomada, mas ainda não foi anunciada "devido à proximidade das legislativas", afirma. Por isso mesmo, A decisão sobre o futuro da linha do Tua transitará para o novo Governo, a quem caberá decidir se é viável manter o último troço de ferrovia transmontana, perante as condicionantes impostas pela barragem de Foz Tua.

Para o também presidente do município de Mirandela, uma reviravolta no processo só pode acontecer com uma mudança política.

"Se vencer o PSD, nada me garante que a posição não venha a ser a mesma, mas como o discurso dos seus líderes é contra os grandes investimentos públicos, pode ser a réstea de esperança para a sobrevivência da linha", refere.

O autarca social-democrata revela que não existe qualquer desenvolvimento sobre o estudo de uma linha ferroviária alternativa à actual, sugerida, em Maio, pelo Ministério do Ambiente, quando emitiu uma Declaração de Impacto Ambiental favorável, mas condicionada à cota mínima de 170 metros, à construção da barragem de Foz Tua. Com a cota aprovada, o enchimento da albufeira irá inundar 16 dos cerca de 60 quilómetros da linha do Tua.

O Metro faz o transporte na linha do Tua, ao serviço da CP, recebendo, anualmente, uma compensação de 124, 500 euros, que cobre apenas cerca metade dos custos operacionais.

Há um ano que a circulação só é possível em cerca de 14 quilómetros, entre Mirandela e Cachão, com o resto do percurso a ser assegurado por táxis. Os prejuízos acumulam-se, o que leva José Silvano a referir que o serviço que está a ser prestado "obriga" a manter nove funcionários e três carruagens, que "não se justificam com a linha encerrada", acrescenta o autarca.

Entretanto, para assinalar um ano após o acidente, a COAGRET (Coordenadora de Afectados Pelas Grandes Barragens e Transvases) organiza, hoje, uma marcha rumo à estação de Brunheda e romagem simbólica ao local do acidente onde será colocada uma coroa de flores.

 

Fonte: Jornal de Notícias

 

últ. comentários
obrigado Cris:)
Bem vinda :))
Helder Fráguas sofreu a perda da sua companheira, ...
Para mim e para muita gente a volta às adegas para...
Estou habituado na leitura de blogs on line, adoro...
me llamo fedra soy de santa fe argentina tengo 9 ...
Carissimos,Eu não sei quem inseriu o comentário em...
todos os comentários estão disponíveis e vísiveis.
Como faço para ler os outros comentários ? Ou esse...
deixo aqui o meu comentário; por acaso pude apreci...
subscrever feeds
pesquisar neste blog
 
Agosto 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
16
21
22
23
blogs SAPO