Dia-a-dia de um distrito rural, doze concelhos e meia dúzia de pequenas cidades encravadas nas montanhas mais a norte de Portugal
18 de Setembro de 2009

A REN - Redes Energéticas Nacionais e a espanhola Enagás acordaram o traçado do futuro gasoduto de gás, que passará por Trás-os-Montes, e representa um investimento de 294 milhões de euros.
De acordo com a REN, o gasoduto terá 290 quilómetros de comprimento, dos quais 205 quilómetros serão em território nacional.
Em comunicado, a REN refere que "a opção vai abrir a porta à gasificação do nordeste transmontano", explicando que os estudos desenvolvidos pelas duas empresas, por encargo dos governos português e espanhol, "confirmaram a zona de Trás-os-Montes como a melhor alternativa à interligação entre os sistemas de gás natural português e espanhol".
"A rede portuguesa estará ligada a partir de Mangualde, enquanto a rede espanhola estará ligada a partir de Zamora", adianta a empresa liderada por José Penedos, em comunicado.
"Esta infra-estrutura que fica proposta e que atravessará grande parte do interior Transmontano será a garantia da autonomia energética desta zona bem como o reforço da segurança do abastecimento do país",
adianta a mesma fonte.
O custo do investimento previsto nesta infra-estrutura em Portugal será de 294 milhões de euros. Este montante destina-se à construção do novo gasoduto e ao reforço interno da rede portuguesa.
"O gasoduto Mangualde - Celorico da Beira - Zamora, ao ligar mais directamente as duas redes nacionais de gás com as infra-estruturas de armazenagem subterrânea e os terminais de gás natural liquefeito, valoriza a Península Ibérica como porta de entrada de gás natural no sistema europeu e potencia uma integração progressiva dos dois mercados nacionais", adianta a REN.
A REN considera que a construção deste gasoduto "cria as condições necessárias para o desenvolvimento do Mercado Ibérico de Gás Natural (Mibgas)".
Com a construção do novo gasoduto Portugal ganha também a possibilidade, ainda que num horizonte alargado, de poder ser abastecido por gás russo via gasoduto, uma vez que esta nova infra-estrutura vai permitir ligações aos gasodutos espanhóis, franceses, alemães e russos.
Actualmente, o gás natural comercializado em Portugal é importado do exterior da União Europeia, sendo a Argélia e a Nigéria os dois grandes fornecedores.
O gás proveniente da Argélia chega à Península Ibérica através do gasoduto Magreb-Europa, que entra pelo sul de Espanha e depois em Portugal, na zona de Campo Maior.
Já o gás proveniente da Nigéria é transportado para Portugal em navios e entra no país através do Porto de Sines.
A distribuição de gás no território nacional está a cargo da EDP e da Galp para os consumidores domésticos, enquanto que a REN é responsável pela distribuição para os grossistas.
 

publicado por Lacra às 06:55

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

últ. comentários
obrigado Cris:)
Bem vinda :))
Helder Fráguas sofreu a perda da sua companheira, ...
Para mim e para muita gente a volta às adegas para...
Estou habituado na leitura de blogs on line, adoro...
me llamo fedra soy de santa fe argentina tengo 9 ...
Carissimos,Eu não sei quem inseriu o comentário em...
todos os comentários estão disponíveis e vísiveis.
Como faço para ler os outros comentários ? Ou esse...
deixo aqui o meu comentário; por acaso pude apreci...
subscrever feeds
pesquisar neste blog
 
Setembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
19
24
25
30
blogs SAPO