Dia-a-dia de um distrito rural, doze concelhos e meia dúzia de pequenas cidades encravadas nas montanhas mais a norte de Portugal
13 de Maio de 2009

As áreas protegidas de Montesinho e do Douro Internacional poderiam servir de complemento à albufeira do Azibo como forma de fazer com que os turistas permanecessem mais tempo no concelho. No entanto, ainda há um longo caminho a percorrer na tentativa de cativar privados a apostar neste mercado.

Essa é, pelo menos, a opinião do director-adjunto das áreas classificadas do Norte, Duarte Figueiredo, um dos oradores convidado a participar nas Jornadas sobre Conservação da Natureza e Educação Ambiental, promovida pelo Fundo para a Protecção dos Animais Selvagens (FAPAS), e que se realizou, pela primeira vez, em Macedo de Cavaleiros.

Segundo Duarte Figueiredo, o município macedense apostou, com apoio do Instituto da Conservação da Natureza e Biodiversidade (ICNB), na preservação dos valores naturais mas sem impedir que as pessoas usufruam desses mesmos valores.

O concelho macedense foi mesmo apontado como “exemplar” no que toca à estratégia seguida a nível ambiental e que, este ano, voltou a dar frutos com o município a ser galardoado, mais uma vez, com a bandeira azul para a albufeira do Azul e com a bandeira verde Eco XXI.

Agora o desafio que se coloca ao ICNB é o trabalho em rede, entre a albufeira do Azibo e os parques naturais de Montesinho e do Douro Internacional. Mas, para tal, é necessário que haja também interesse dos privados em investir no turismo de natureza.

“Quando se cria uma área protegida o objectivo não é criar uma redoma em volta dessa mesma área, é precisamente o contrário”, apontou.

No entanto, Duarte Figueiredo defende que têm de ser os privados a avançar sozinhos e a oferecer serviços complementares ao turista que visita estes espaços naturais.

“Tem que haver dinamismo, capacidade empreendedora para alguém interceptar esta pessoa, vender produtos regionais, vender serviços e isso não podemos ser nós a fazer, não temos condições nem é esse o nosso negócio”, apontou o director-adjunto.

As jornadas sobre Conservação Ambiental realizaram-se pela primeira vez em Macedo de Cavaleiros e contaram com a presença de inúmeros especialistas vindos de todo o país. Recorde-se ainda que o concelho de Macedo de Cavaleiros foi o único do distrito galardoado com a bandeira verde Eco XXI, um prémio que, no entender do vice-presidente da autarquia, Duarte Moreno, reflecte a aposta que o município tem feito nos valores ambientais.

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

últ. comentários
obrigado Cris:)
Bem vinda :))
Helder Fráguas sofreu a perda da sua companheira, ...
Para mim e para muita gente a volta às adegas para...
Estou habituado na leitura de blogs on line, adoro...
me llamo fedra soy de santa fe argentina tengo 9 ...
Carissimos,Eu não sei quem inseriu o comentário em...
todos os comentários estão disponíveis e vísiveis.
Como faço para ler os outros comentários ? Ou esse...
deixo aqui o meu comentário; por acaso pude apreci...
subscrever feeds
pesquisar neste blog
 
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
19
blogs SAPO