Dia-a-dia de um distrito rural, doze concelhos e meia dúzia de pequenas cidades encravadas nas montanhas mais a norte de Portugal
16 de Setembro de 2010

Fundação luxemburguesa foi “essencial” para ajudar a concretizar o projecto. Lar vai acolher 55 utentes e ajudar a desenvolver a economia com a criação de 35 postos de trabalho, mas faltam os acordos de cooperação com a Segurança Social

 

Já está em funcionamento o novo Lar de Terceira Idade do Lombo, da Santa Casa da Misericórdia de Macedo de Cavaleiros. Um “dia feliz” para o provedor, Castanheira Pinto, que frisou a cooperação com a Fundação luxemburguesa Félix Chomé como “essencial” para levar a cabo a realização daquela obra.

A obra, cujo custo ascendeu aos 2,3 milhões de euros, foi comparticipada quase na totalidade pela Fundação do Luxemburgo, que, em troca, pediu prioridade aos possíveis utentes familiares de emigrantes naquele país.

“É um dia feliz porque candidatei o projecto várias vezes a financiamento e nunca consegui.

Foi através de um processo iniciado pelo Pe. Vítor Melícias e pelo embaixador de Portugal no Luxemburgo que conseguimos avançar”, contou, emocionado, o provedor da Santa Casa, Castanheira Pinto.

Com capacidade para 55 utentes em lar e 40 em apoio domiciliário, o Lar do Lombo vem dar resposta a uma área geográfica do concelho de Macedo de Cavaleiros que estava mais “desprotegida” em termos sociais e onde a Santa Casa da Misericórdia já possui um casal agrícola que produz, entre outros produtos agrícolas, vinhos que já foram premiados diversas vezes, (vinhos Quinta do Lombo).

A par das excelentes condições de acolhimento dos idosos, a infra-estrutura está apetrechada com 31 amplos quartos,( 23 duplos, sete individuais e um quarto de casal), cinco salas de estar, uma sala de actividades lúdicas e recreativas, consultório médico, barbearia e cabeleireiro, e duas unidades de banho acompanhado.

Tudo foi pensado para dar a maior qualidade e conforto aos utentes, existindo, inclusive, quartos para doentes terminais que têm acoplada uma salinha para maior privacidade dos familiares.

“É quase um hotel de cinco estrelas!”, referiu Castanheira Pinto, apontando, no entanto, a necessidade de vir a estabelecer acordos de cooperação com a Segurança Social, por forma a admitir utentes com maiores dificuldades económicas.

“O Lar ainda não está lotado porque não temos acordos de cooperação com a Segurança Social e, assim, o utente terá de pagar a mensalidade na totalidade e nem todos têm capacidade para o fazer”, notou o provedor.

Também Beraldino Pinto, presidente da câmara de Macedo de Cavaleiros, frisou a necessidade de, a curto prazo, vir a estabelecer acordos com a Segurança Social: “é o objectivo da Santa Casa da Misericórdia, é uma grande necessidade do município e a nossa grande ambição”.

Esse poderá vir a ser o “calcanhar de Aquiles” da nova infra-estrutura da Santa Casa da Misericórdia de Macedo de Cavaleiros. Sem acordos de cooperação, os idosos com reformas mais baixas dificilmente conseguirão suportar os custos. Ainda assim, será necessário esperar para analisar quais as verbas destinadas pelo Governo para o programa do próximo ano e quais as possibilidade de incluir alguns utentes do Lar do Lombo em acordos de cooperação, conforme explicou Teresa Barreira, directora regional da Segurança Social.

“Não posso prometer nada porque não tenho poder de antever como serão os acordos de cooperação do próximo ano. É necessário ver quais as verbas envolvidas no programa do próximo ano”, adiantou a responsável. Presente na inauguração da nova valência, Teresa Barreira não deixou de notar a “importância” da colaboração das Instituições Particulares de Solidariedade Social com outros parceiros, deixando um repto à Fundação luxemburguesa.

“É um projecto grande que deve ser acarinhado e que esperemos que possa ser replicado também noutros pontos do distrito. Aproveita-se para deixar o repto a esta fundação luxemburguesa para que se associem a outros projectos no distrito que, eventualmente, ainda sejam necessários”.

Esta foi a primeira vez que a Fundação Félix Chomé apoiou financeiramente uma obra num outro país. Roland Hoff, presidente da instituição, considera que este apoio significativo é, também, uma forma de “agradecer” à comunidade emigrante portuguesa que, nos anos 60/70, contribuíram com o seu trabalho para o desenvolvimento económico e social do Luxemburgo.

“Este apoio surge como forma de agradecimento à população portuguesa e tem todo o sentido que se centre aqui na região Norte, que é de onde os portugueses emigrantes são maioritários”, apontou.

Actualmente, o Luxemburgo conta com cerca de 80 mil portugueses num total de meio milhão de habitantes. A contrapartida exigida pela Fundação Félix Chomé pela colaboração dispensada é que o Lar do Lombo admita prioritariamente os familiares de emigrantes que vivam naquele país.

 

Solução de financiamento pioneira e inédita

O Pe. Vítor Melícias foi um elemento fundamental para que se concretizasse o apoio da Fundação Félix Chomé à construção do Lar do Lombo. O pároco e presidente honorário da União das Misericórdias contou aos jornalistas que, uma altura, foi contactado pelo embaixador de Portugal no Luxemburgo sobre a intenção de uma Fundação, neste caso a Fundação Félix Chomé, apoiar uma obra social em Portugal.

O conhecimento que o Pe. Vítor Melícias tinha desta zona do interior levou-o a contactar o Provedor da Santa Casa da Misericórdia de Macedo de Cavaleiros, Castanheira Pinto, tendo-se verificado que a construção de um lar poderia ser uma boa resposta.

No dia da inauguração, o Pe. Melícias constatou que foi feita “uma boa opção”.

“Foi escolhida uma aldeia do interior que tem uma população muito envelhecida e que precisa de respostas adequadas. Fico feliz porque foi feita uma boa opção”.

A solução foi pioneira e tem a particular característica de ter partido da Fundação Félix Chomé naquilo a que o Pe. Melícias chamou de “solidariedade intra-europeia” que deverá “servir de exemplo ao que vai ser o futuro da humanidade”.

 

publicado por Lacra às 10:56
02 de Julho de 2010

 

 

Está em estudo o Plano de Ordenamento da Paisagem Protegida da Albufeira do Azibo. O Instituto de Conservação da Natureza e Biodiversidade (ICNB) encomendou um estudo a uma equipa técnica que já apresentou quatro cenários distintos mas sobre os quais a câmara municipal aponta várias divergências.

O Diário de Bragança soube que em cima da mesa está a possibilidade da renaturalização total do espaço; a manutenção da situação actual (status quo); o desenvolvimento agrícola e florestal; ou o desenvolvimento do turismo.

A barragem do Azibo foi construída nos anos 70 com o objectivo de servir o abastecimento de água e a rega de campos agrícolas. No entanto, a elevada procura da população pelo local como espaço de lazer, a par do aumento de biodiversidade verificado no local, levaram  a que o espaço fosse classificado, em 1999, como Paisagem Protegida, espaço onde, entretanto, nasceram praias fluviais classificadas com Bandeira Azul desde há vários anos.

Para Beraldino Pinto, presidente da câmara de Macedo de Cavaleiros, já foram dadas “provas” da gestão do território numa perspectiva de valorização e salvaguarda. É por isso que o autarca defende que o novo Plano de Ordenamento, que tem como horizonte 2030, venha a ser, simultaneamente, um plano de desenvolvimento, mas confessa que tem encontrado “entraves”.

“Não estamos a conseguir que o ICNB corresponda a essa perspectiva legítima”, contou.

O autarca considera que o espaço é essencial para o desenvolvimento do turismo na região mas defende, ao mesmo tempo, a compatibilização dos usos, como tem acontecido.

“É possível compatibilizar os usos e é desejável essa compatibilização”, afirmou.

Uma opinião que é também partilhada por Manuel Cardoso, presidente da Comissão Directiva da Paisagem Protegida da Albufeira do Azibo. O responsável pensa que é possível compatibilizar as diferentes vertentes até porque o local só se tornou naquilo que é hoje, uma paisagem protegida, pela acção directa do homem (construção da barragem).

“Não podemos pensar que vamos ter aqui um santuário ambiental a preservar, retirando daqui as actividades humanas”, apontou, dizendo que tal é “impensável”.

Por outro lado, Manuel Cardoso defende também que qualquer actividade, investimento ou utilização do espaço, só faz sentido enquanto este mantiver o estatuto de Paisagem Protegida.

“Caso contrário perde-se a excelência sítio. O Plano tem de nascer do conjunto de diferentes visões”, considerou.

O Plano de Ordenamento está numa fase adiantada de elaboração mas a discussão técnica já se arrasta há alguns anos. Quando o ICNB entregar os documentos e depois de seguidos os trâmites normais, o Plano deve ser alvo de uma discussão pública na qual todos poderão intervir.

publicado por Lacra às 08:36
27 de Junho de 2010

A campanha de segurança nas praias portuguesas arrancou, pela primeira vez, na Praia da Ribeira da Paisagem Protegida da Albufeira do Azibo. “Verão de Campeão” é uma iniciativa do Instituto de Socorro a Náufragos (ISN) e da Fundação Vodafone, que visa a sensibilização e o incremento da cultura de segurança junto de todos os que frequentam estes espaços.

A praia do Azibo é uma praia vigiada há vários anos e um exemplo, a nível nacional, pela ausência de acidentes mortais. Ainda assim, todos os anos se registam ocorrências pelo que Costa Andrade, comandante do ISN considera que nunca é demais insistir no cumprimento “escrupuloso” das regras de segurança.

“Todas as praias são potencialmente perigosas quando não se cumprem as regras elementares”, considerou o comandante, apontando que o grande objectivo do ISN é fomentar a cultura da segurança junto de todos os que frequentam as praias.

Este ano, a campanha visou sobretudo a transmissão de conceitos pedagógicos e a exploração de situações perigosas junto das crianças através de jogos lúdicos. Foi ainda realizado um simulacro de salvamento de um afogamento em que houve intervenção dos nadadores-salvadores, sob a direcção do ISN.

A Praia da Fraga da Pegada e a praia da Ribeira são duas praias que, durante a época balnear, dispõe da vigilância dos nadadores-salvadores, estando ainda dotadas de todas as infra-estruturas e equipamentos necessários. A visita de milhares de pessoas, durante o Verão, faz com que a segurança seja uma aposta primordial da câmara de Macedo, em conjunto com todas as outras entidades com responsabilidades na matéria.

“As praias podem estar bonitas, ter todas as condições e infra-estruturas mas se houver acidentes é todo um trabalho e uma imagem que fica prejudicada”, considerou o presidente da câmara, Beraldino Pinto.

Na praia da Ribeira, daquilo que é a experiencia de Hugo Ribeiro, um dos nadadores-salvadores a trabalhar no local há duas épocas consecutivas, o que levante mais ocorrências é a falta de precaução, nomeadamente de alguns visitantes que pretendem aceder à plataforma existente na água ou que tentam levar as crianças até lá.

“As crianças querem ir para lá e os pais tentam levar e, muitas vezes, não sabem nadar muito bem ou atrapalham-se com o transporte”, contou, apontando que a falta de respeito pelas regras de segurança estão sempre na base das ocorrências registadas. No ano passado, naquela praia, o nadador-salvador teve de intervir doze vezes mas em nenhuma delas houve perigos de maior.

A par da abertura da campanha de segurança para 2010, a Praia da Ribeira e a Praia da Fraga da Pegada hastearam, novamente, as Bandeiras Azuis e de Acessibilidade, dois galardões atribuídos pelo Instituto Nacional da Água que comprovam a excelência do local.

 

15 de Maio de 2010

A albufeira do Azibo, em Macedo de Cavaleiros, conta, pela primeira vez, com duas praias fluviais galardoadas com a bandeira azul. A praia da Fraga da Pegada ostenta, pelo sexto ano consecutivo, este galardão de qualidade ambiental. Já a Praia da Ribeira ostenta este símbolo pela primeira vez. A bandeira azul é atribuída pela Fundação Bandeira Azul da Europa, uma organização não governamental e sem fins lucrativos, mediante rigorosos critérios relacionados com a qualidade da água, mas não só. A Fundação, antes de atribuir o galardão, verifica também critérios relacionados com a informação e educação ambiental, gestão ambiental e equipamentos, segurança e serviços. O município de Macedo de Cavaleiros tem-se destacado a nível nacional pelo bom desempenho representando 25 por cento das bandeiras azuis atribuídas a praias fluviais em todo o país. Beraldino Pinto, presidente da câmara local, considera que este sucesso se deve não só ao empenhamento do município e aos investimentos realizados na Albufeira do Azibo, mas a todos os macedenses e visitantes. “Para ter a bandeira azul é preciso promover uma atitude ambiental activa e pró-activa e isso envolve as escolas, a população e os visitantes”, notou. O novo projecto da autarquia passa agora por criar mais uma praia fluvial na albufeira, de forma a evitar a massificação das praias existentes. No Verão passou pelo local milhares de pessoas de toda a região e de todo o país, pelo que Beraldino Pinto considera que será importante criar uma nova praia que permita receber mais pessoas, com a mesma qualidade. Já relativamente ao campo de golfe que está previsto para aquele espaço ambiental, o presidente da câmara não quis avançar com datas mas garantiu que estão a ser dados todos os passos que permitam que todas as exigências ambientais sejam cumpridas. O processo continua em fase de estudos mas já tem comparticipação financeira garantida em 75 por cento, através do Instituto de Desporto de Portugal. O projecto engloba ainda a criação de uma academia de golfe a instalar na cidade.
13 de Fevereiro de 2010

 Em mais um Carnaval, a aldeia de Podence, no concelho de Macedo de Cavaleiros, aguarda os milhares de turistas que a costumam visitar nesta altura, atraídos por uma das “mais genuínas” comemorações do Entrudo, aproveitando, ainda, para comprar produtos regionais que estarão, mais uma vez, à venda.

Os festejos começam no Domingo, dia 14, e prolongam-se até à terça-feira de Carnaval, dia 16.

Em Podence, este ano  a grande novidade será é a “Noite da Máscara Mágica”, que tem lugar na segunda-feira, a partir das 22h00. Trata-se de um desfile no qual os visitantes poderão participar. Para tal terão de levar uma máscara e uma tocha acesa, de modo a criar, um ambiente de “mistério”. Durante o desfile haverá muita animação, música e teatro de rua.

Do programa consta ainda o tradicional “Leilão Chocalheiro”, no Domingo. Nesse dia os visitantes podem ter a oportunidade para experimentar as vestes dos Caretos e desfrutar da experiência de usar máscara, chocalhos e comportarem-se como um careto “verdadeiro”. Logo após esta “experiência”, os “reais” caretos de Podence andarão à solta, percorrendo a aldeia.

Na segunda-feira de Carnaval haverá, durante a manhã, passeios de burro e um raid fotográfico. O ponto alto está reservado para o cair da noite com o “Pregão Casamenteiro”. Nele são feitos “contratos de casamentos”, que servem de pretexto para fazer crítica social. Segue-se o desfile da “Noite da Máscara Mágica” e a “Queimada” de um grande boneco vestido de branco, símbolo de um casamento carnavalesco. A festa continua pela noite dentro com um baile tradicional ao som dos “Roncos do Diabo”.

Na própria cidade, na terça-feira de Carnaval, desfile de carros alegóricos, pelas principais ruas, acompanhado das tropelias de mascarados e foliões. Este desfile tem início às 15h00.

Segundo o município de Macedo de Cavaleiros, este cortejo tem despertado a curiosidade e surpreendido os milhares de espectadores que lá acorrem, sobretudo pelo envolvimento da comunidade, uma vez que conta com a participação de grupos culturais, associações, instituições e juntas de freguesias do concelho.

 

27 de Setembro de 2009

O PS ganhou as eleições a nível nacional mas no distrito de Bragança foi o PSD que teve a maioria dos votos elegendo dois deputados por este círculo eleitoral: Ferreira Gomes e Adão Silva. O PS elege apenas um deputado, Mota Andrade.

 

 
 
Votantes
53,71%
Votantes: 83.974
Inscritos: 156.333
Resultados de 2005
 
 
Votantes
55,78%
Votantes: 83.227
Inscritos: 149.209
Partido Resultados Mandatos
PS
Partido Socialista
42,07%
35.010 votos
2 mandato(s) para o PS
2
PPD/PSD
Partido Social Democrata
38,99%
32.448 votos
2 mandato(s) para o PPD/PSD
2
CDS-PP
CDS - Partido Popular
9,66%
8.036 votos
B.E.
Bloco de Esquerda
2,43%
2.024 votos
PCP-PEV
CDU - Coligação Democrática Unitária
2,03%
1.692 votos
PND
Nova Democracia
0,74%
616 votos
PCTP/MRPP
Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses
0,55%
459 votos
PH
PH
0,32%
263 votos
PNR
PNR
0,31%
260 votos
 
EM BRANCO
1.46%
1.218 votos
NULOS
1.44%
1.201 votos
 
Partido Resultados Mandatos
PPD/PSD
Partido Social Democrata
40,51%
34.022 votos
2 mandato(s) para o PPD/PSD
2
PS
Partido Socialista
32,98%
27.695 votos
1 mandato(s) para o PS
1
CDS-PP
CDS - Partido Popular
12,66%
10.631 votos
B.E.
Bloco de Esquerda
6,21%
5.211 votos
PCP-PEV
CDU - Coligação Democrática Unitária
2,41%
2.023 votos
PCTP/MRPP
Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses
0,61%
513 votos
MEP
Movimento Esperança Portugal
0,38%
320 votos
PND
Nova Democracia
0,36%
303 votos
MMS
Movimento Mérito e Sociedade
0,23%
195 votos
PPM
Partido Popular Monárquico
0,22%
186 votos
MPT-P.H.
FEH - Frente Ecologia e Humanismo
0,19%
160 votos
P.N.R.
Partido Nacional Renovador
0,16%
131 votos
PPV
Portugal pro Vida
0,12%
104 votos
 
EM BRANCO
1.26%
1.055 votos
NULOS
1.7%
1.425 votos

 

Vinhais, Vila Flor e Alfândega da Fé são os únicos concelhos que ficaram pintados a cor-de-rosa.
Ferreira Gomes e Adão Silva, pelo PSD e Mota Andrade, pelo PS, são os três deputados eleitos no distrito.

Em Vinhais, o PS venceu com 41,81 % dos votos, o PSD conseguiu 32,77%. Em Vila Flor, os socialistas ficaram com 36,56% contra 34,58% do PSD.
No concelho de Bragança, o PSD ganhou com 39,07% dos votos, ficando o PS com 32,96%. De salientar que na freguesia de Izeda, PS e PSD ficaram empatados, ambos com 181 votos.
Em Macedo de Cavaleiros, vence o PSD com 41,11% contra 30,83% do PS.
Em Freixo de Espada à Cinta, o PSD ganhou à tangente, apenas por quatro votos, 40,8% para os socias-democratas, e 40,64% para o PS.
Em Vimioso, o PSD ganhou com 51,33%, o PS obteve 34,54% das votações.
Em Carrazeda de Ansiães, o PSD ganhou com 39,77%, e o PS obteve 32,77%.
Os socialistas ganharam em Alfândega da Fé por nove votos, 41,11% contra 40,89% do PSD.
Em Miranda do Douro, o PSD venceu por oito votos a mais que o PS, 40,12% contra 39,35%.
Em Torre de Moncorvo, os sociais-democratas venceram com 40,3% dos votos, contra 37,18% do PS.
43,01% foi com quanto venceu o PSD em Mogadouro contra os 29,38% dos votos, obtidos pelos socialistas.
PSD arranca vitória esmagadora em Mirandela com 43,72% dos votos contra 23,43% do PS.

 

Fonte: RBA

18 de Agosto de 2009

A vítima foi surpreendida pelos dois assaltantes quando se encontrava sozinha a vender galinhas próximo da estrada, na aldeia de Peredo.

A mulher, de 63 anos, foi abordada e levada à força pelos indivíduos para a sua residência, que dista cerca de 300 a 400 metros do local onde se encontravam.

De acordo com o relato feito à GNR, depois de entrarem na casa, um dos indivíduos imobilizou a vítima deitando-a no chão e colocando-lhe um pé nas costas.

O outro terá remexido o quarto onde encontraram e furtaram várias peças em ouro, avaliadas em cerca de três mil euros, segundo a GNR.

Os assaltantes trancaram depois no quarto a idosa que teve de saltar pela janela, correspondente ao rés-do-chão para pedir ajuda.

A vítima apresentava alguns hematomas, e foi transportada para o hospital de Macedo de Cavaleiros, tendo recebido alta depois de assistida.

Este foi o primeiro roubo com estas características que o dispositivo da GNR registou nesta zona.

A GNR abriu um inquérito ao assalto, mas ainda não tem pistas sobre os autores, que terão entre 16 e 20 anos, de acordo com o relato da vítima.

 

Fonte: Lusa

publicado por Lacra às 17:59
06 de Agosto de 2009

 “Um lugar para viver” é o nome da nova série que a RTP está a gravar na região. A comédia “negra” conta com a participação de actores bem conhecidos do público português, como seja, Ana Bustorff, Rui Mendes, João Lagarto, Carla Andrino, Isabel Figueira, entre outros.

O argumento e realização é de Artur Ribeiro e conta a história de uma família de emigrantes portugueses que, depois de 30 anos, regressa de França, numa autocaravana, e recomeça a vida em Portugal. Quando chegam à aldeia natal, encontram um sítio quase desertificado e descobrem que a casa da família ficou em ruínas na sequência de um incêndio que lavrou na região. Com o choque, a matriarca morre do coração, não sem pedir antes que a família se mantenha unida, e que a enterrem junto ao local onde vão viver. Isto motiva uma nova viagem, em busca de um canto no país onde possam edificar casa e enterrar a matriarca. Mas, as várias disfuncionalidades da família levam a um rol de alucinantes peripécias que os obriga a ir de terra em terra, à procura de um lugar para viver.

É nesta série que a modelo Isabel Figueira se vai estrear como actriz, dando vida a uma personagem de forte carga dramática e emocional.

Nesta semana passada, os actores estiveram na Albufeira do Azibo, em Macedo de Cavaleiros, a filmar algumas cenas dos episódios. Durante a manhã, foi com surpresa que alguns veraneantes se depararam com todo o aparato inerente às filmagens. A GNR teve mesmo de controlar o tráfego para que tudo decorresse da melhor forma e sem grandes interrupções.

Um dos actores principais da série, Rui Mendes, contou ao aos jornalistas que as filmagens estão a decorrer “muito bem”, apesar de “muito cansativas”, devido ao calor.

Os actores estavam “muito surpreendidos” com a paisagem da região e com a “qualidade de vida”. Rui Mendes confirmou que a maioria não conhecia o Nordeste Transmontano e que estavam muito “felizes”.

“Trabalhei várias vezes em Bragança e em Vila Real, mas não conhecia muito bem Macedo de Cavaleiros. É uma região lindíssima e eu e os meus colegas estamos muito felizes por aqui estar”.

Depois de quatro dias pelo concelho de Macedo de Cavaleiros, o elenco seguiu para Mirandela. As filmagens vão ainda decorrer em Alfândega da Fé e daí partirão para outras localidades do país.

“Um lugar para viver” está a ser produzido pela Plano 6 e conta com 13 episódios, cada um com 44 minutos.

Tudo indica que a série vá para o ar ainda em Setembro deste ano.

05 de Agosto de 2009

 Foi hoje apresentado o penúltimo circuito do Campeonato Nacional de Voleibol de Praia, a decorrer no Azibo, de 12 a 16 de Agosto. Mais informações aqui

30 de Julho de 2009

Rui Vaz, o candidato socialista à câmara de Macedo de Cavaleiros, acusa a concelhia social-democrata de estar a elaborar as listas às juntas de freguesia com dezenas de elementos, à custa de “chantagem” e “promessas de emprego”.

Em conferência de imprensa, o candidato afirmou ter conhecimento de “dezenas de casos concretos” de pessoas que foram “pressionadas” a assinar a lista do PSD.

“As assinaturas são angariadas com promessas de emprego, chantagem e coacção. Temos vários exemplos de pessoas que estão comprometidas por promessas de emprego a familiares”, acusou.

As listas às juntas de freguesia são constituídas por apenas 14 elementos. No entanto, por norma, na elaboração das mesmas são angariadas mais assinaturas tendo em conta a possibilidade de desistências. Acontece que, segundo Rui Vaz, o PSD estará a fazer listas com mais de 30 e 40 pessoas, em algumas freguesias. O processo, apesar de não ser ilegal, é considerado pelo candidato socialista como “pouco democrático”, dado a baixa taxa de densidade populacional de algumas freguesias.

“Foi um acto premeditado com o objectivo claro de dificultar a vida ao adversário”, apontou.

Rui Vaz acrescenta ainda que em causa não está a não constituição de listas.

“O que está em causa é, mais uma vez, tornar público que há pessoas que em actos eleitorais não têm comportamentos democráticos”.

O candidato recordou que já noutros actos eleitorais houve situações de anormalidade e acusou o executivo de estar envolvido nessas mesmas situações.

Como exemplo Rui Vaz apontou as eleições dos Bombeiros, as eleições para a direcção da Associação Comercial ou para o Agrupamento de Escolas.

Já no caso das eleições autárquicas, o candidato diz que o PSD está a “enganar as pessoas” para assim “manter o poder a todo o custo”.

“É que as pessoas que assinaram essas listas, quando elas forem afixadas, não vão lá ver o seu nome porque são apenas permitidos 14 elementos”, explicou.

Confrontado com estas acusações, o líder da concelhia local e vereador da autarquia, Carlos Barroso, limitou-se a comentar que o PSD tem listas em todas as freguesias do concelho e que o processo está entregue a cada um dos cabeças de lista das freguesias.

O líder social-democrata alegou ainda não ter conhecimento de nenhum dos casos apontados pelo candidato socialista, até porque ainda não foi recepcionada nenhuma lista definitiva. O responsável político disse ainda que, nos termos da lei, não existe nenhum limite para o número de suplementos a integrar as listas e apontou que as alegações de Rui Vaz demonstram apenas a “dificuldade extrema”  que está a ter em organizar o processo

“Se é porque foram tarde, se é porque ninguém acredita no seu projecto, é uma reflexão e análise que o candidato socialista terá de fazer”.

Apesar das dificuldades, o PS confirma que tem listas em 38 freguesias e quatro plenários e lembra que, há oito anos atrás, também Luís Vaz ganhou 25 juntas de freguesia mas perdeu a câmara.

 

publicado por Lacra às 09:47



Posts mais comentados
Related Posts with Thumbnails
últ. comentários
obrigado Cris:)
Bem vinda :))
Helder Fráguas sofreu a perda da sua companheira, ...
Para mim e para muita gente a volta às adegas para...
Estou habituado na leitura de blogs on line, adoro...
me llamo fedra soy de santa fe argentina tengo 9 ...
Carissimos,Eu não sei quem inseriu o comentário em...
todos os comentários estão disponíveis e vísiveis.
Como faço para ler os outros comentários ? Ou esse...
deixo aqui o meu comentário; por acaso pude apreci...
Locations of visitors to this page
Eu sou Jornalista
pesquisar neste blog
 
Janeiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
blogs SAPO