Dia-a-dia de um distrito rural, doze concelhos e meia dúzia de pequenas cidades encravadas nas montanhas mais a norte de Portugal
11 de Novembro de 2010

O Instituto Politécnico de Bragança decretou três dias de luto pela estudante atropelada mortalmente junto a uma das entradas do campus académico. A jovem não resistiu aos ferimentos e acabou por falecer, já depois de ter sido transportada por helicóptero para o Hospital de Santo António, no Porto. Cerca de mil estudantes compareceram ao funeral, em Marco de Canaveses, demonstrando a sua solidariedade para com a família enlutada.


Com a Semana do Caloiro a decorrer, a Associação Académica decidiu, também, assinalar, em vários momentos, o seu pesar sentido pela morte inesperada da estudante.


Desde logo foi decidido anular algumas das actividades agendadas para o início da semana, como seja os tribunais de caloiros. A missa da bênção dos caloiros não esqueceu a tragédia e o desfile das tochas realizou-se em silêncio.


A jovem, de 24 anos, natural de Marco de Canaveses, finalista de um curso da Escola Superior Agrária, foi atropelada por volta das dez da noite, quando se preparava para atravessar a estrada. Os colegas dizem que ia trajada e que isso terá contribuído para que o condutor não a tivesse visto.


Os Bombeiros foram chamados de imediato ao local, com a informação de que se trataria de um ferido grave. José Fernandes, comandante, conta que os bombeiros encontraram a jovem inconsciente, com várias escoriações no corpo e ferimentos ao nível da cabeça.  A equipa da VMER compareceu de seguida, cabendo aos bombeiros fazer o trabalho de apoio. Depois do transporte para o Hospital de Bragança, os bombeiros receberam novo pedido para apoio ao helicóptero, tendo a vítima sido evacuada para o Porto.


A jovem esteve em coma e não resistiu aos ferimentos, acabando por falecer.


A Associação Académica e a direcção do IPB decidiram decretar três dias de luto em memória da jovem aluna.

 

Mais iluminação para a envolvente do IPB

Os alunos do IPB não se conformam e reclamam melhor iluminação para aquela envolvente. O presidente da Associação Académica, Rui Sousa, fez eco disso junto da câmara municipal de Bragança, como contaram ao Diário de Bragança.


“Temos tido várias queixas dos alunos relativamente à iluminação e às obras que decorrem para a ciclovia. É uma zona com pouca luminosidade e, nesta altura, os estudantes andam trajados, o que piora a situação”, apontou.


Rui Sousa diz que os alunos estão “revoltados” com a situação, nomeadamente os da Escola Superior Agrária, onde as condições de visibilidade, à noite, são ainda piores e agravadas pelas obras que decorrem.


“Pedimos à câmara que nos faça esse favor, a nós e à comunidade. Talvez bastasse aparar algumas das árvores para a iluminação ser melhor, têm é de se arranjar soluções”.


Da parte da autarquia municipal, o presidente Jorge Nunes admite que se possa proceder à poda de algumas árvores, no entanto, reitera, “não necessariamente para melhorar as condições de travessia da via, porque a travessia da via deve ser feita nas passadeiras e as condições de segurança são suficientes”.


O autarca diz que as passadeiras estão devidamente assinaladas, precedidas de redutores de velocidade e com iluminação suficiente. As obras em curso, no seu entender, também não representam qualquer problema para os peões, uma vez que existe no local sinalização vertical e horizontal.

“O passeio contíguo à via, entre a Escola Agrária e a Escola de Tecnologia e Gestão, está iluminado de forma suficiente e foi alargado com o espaço da ciclovia”, apontou.


Jorge Nunes diz ainda que sempre foi  “preocupação da autarquia” que todas as áreas próximas das saídas e entradas das escolas tivessem “boa sinalização e melhores condições de segurança”. O autarca recorda que estas foram medidas adoptadas há vários anos, também na sequencia de um acidente mortal que envolveu jovens do IPB. “A partir daí toda a sinalização envolvente do campus do IPB foi alterada e foram colocados redutores de velocidade, que funcionaram bem”.


Segundo afirmou, nos últimos anos a sinistralidade “tem sido muito baixa, resultado deste reforço de medidas de travessia de via e de maior cuidado dos condutores”. O presidente considera, por isso, que não se pode relacionar o acidente com as obras em curso ou com uma fraca iluminação, recusando-se a tecer mais comentários sobre o assunto.

10 de Novembro de 2010

A Semana do Caloiro começou, ontem, marcada pelo luto em memória da estudante da Escola Superior Agrária, atropelada mortalmente, na semana passada, junto ao campus académico. Depois da missa na catedral e de um desfile das tochas marcado pelo pesado silêncio, os estudantes receberam os caloiros com a actuação das Tunas, num concerto que foi, também, de homenagem.


Hoje a noite fica a cargo dos Orelha Negra, uma banda que segue as novas tendências da música portuguesa e do hip-hop. Depois é a vez dos Nu Soul Family e, no dia 12, do Arraial Popular e de outras bandas de música portuguesa, sendo de assinalar que, pela primeira vez, o Quim Barreiros não marcara presença.

Os Santos e Pecadores fecham, no dia 13, a Semana do Caloiro, com a apresentação do seu novo álbum.

 

Os preços dos bilhetes, para estudantes, variam entre os cinco e os 11 euros, sendo que a pulseira tem um preço de 28 euros. Para não estudantes, os preços variam entre os 7 e os 13 euros, com a pulseira a custar 35 euros.

publicado por Lacra às 09:52

É mais um prémio, a nível nacional, para os estudantes e professores do Instituto Politécnico de Bragança. Desta feita, um grupo de duas alunas de Arte e Design, do 2º ano, e dois docentes da Escola Superior de Educação, venceram o Concurso Prémio Inovação Valorpneu 2010 com o trabalho “Labirinto”.

O objectivo do concurso visava o desenvolvimento de novas soluções para o destino sustentável dos pneus usados em Portugal, garantindo o incentivo e dando visibilidade ao trabalho de investigação realizado em estabelecimentos de ensino superior.

Ana Arribas e Cátia Fernandes, alunas, acompanhadas por Carlos Costa e Jorge Morais, apresentaram um projecto que consiste na construção de um labirinto para um espaço público, reutilizando cerca de 650 pneus em fim de vida.

O Prémio Inovação Valorpneu 2010 tem o valor monetário de 7.500 Euros e contempla a atribuição de um estágio profissional para o seu vencedor.

 Os trabalhos candidatos enquadram-se nas áreas de Engenharia, Arquitectura ou Design, sendo objectivo que apresentem soluções inovadoras que contribuam para a sustentabilidade económica e ambiental do sistema integrado de gestão de pneus usados (SGPU) gerido pela Valorpneu.

Os destinatários do Prémio Inovação Valorpneu 2010 são os estudantes do ensino superior nacional, universitário ou politécnico, de estabelecimentos públicos ou privados que tenham ou estejam a desenvolver trabalhos ao nível dos graus de Bacharelato, Licenciatura, Mestrado, Doutoramento ou Pós-graduação e, ainda, os jovens investigadores de outras entidades do sistema científico nacional público com, à data de finalização do trabalho de investigação, idade inferior a 35 anos.

A ValorPneu atribuiu o prémio à equipa do IPB que, irá receber o prémio hoje e amanhã, numa cerimónia no Funchal.

publicado por Lacra às 08:54
tags: ,
18 de Outubro de 2010

Estudantes estrangeiros com maior facilidade em aceder às matriculas através de nova plataforma electrónica desenhada pela Universidade de Aveiro em parceria com o SEF


 

Os estudantes do Instituto Politécnico de Bragança (IPB), provenientes de países não comunitários, já não vão ter de passar por tantos processos burocráticos para efectuarem a sua matrícula. O IPB implementou um sistema electrónico, o ISU - Interface SEF Universidade, que, na hora da matrícula, fornece de imediato a situação em que o cidadão estrangeiro se encontra, eliminando várias idas ao Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), sempre que tudo está em ordem.

O ISU foi desenhado pela Universidade de Aveiro, em parceria com o SEF, onde já funciona no âmbito de um projecto piloto. A nível nacional, o IPB foi a primeira instituição a implementar esta plataforma electrónica,as ce﷽﷽﷽﷽﷽tando esta plataforma electronica,rimeira be sua implementaçao,nteiras, sempre que tudo est o que ºe bipa de dois alun permitindo aos mais de 250 estudantes estrangeiros uma maior rapidez e agilização dos processos formais necessários à efectuação da matrícula, como notou Sobrinho Teixeira, presidente da instituição.

“É um sistema que vai evitar, sobretudo, perdas de tempo e vai traduzir-se numa maior qualidade de vida para quem vem de fora”.

Segundo o director nacional do SEF, Manuel Palos, sem este sistema, os cidadão estrangeiros que pretendessem matricular-se no ensino superior, teriam de passar primeiro pelos serviços do SEF a pedir uma certidão.

“Com este sistema, esse procedimento não faz sentido, uma vez que, através da consulta directa que a instituição nos faz, é dada a informação se o cidadão se pode, ou não, matricular, bastando estar munido do visto”, explicou Manuel Palos.

As vantagens são, sobretudo, do cidadão, mas também dos próprios serviços das entidades envolvidas, neste caso o SEF e o IPB, que vêm o seu trabalho facilitado, com maior rapidez e segurança.

A cerimónia oficial de lançamento deste programa realizou-se na semana passada e contou com a presença de diversas entidades, entre elas a secretária de Estado da Administração Interna, Dalila Araújo.

No entender da responsável governamental, este é um projecto que se insere na política de imigração seguida pelo Estado e que assenta em três pilares, conforme adiantou: “regularização do cidadão estrangeiro em Portugal; combate à criminalidade; e políticas de integração”.

“Este é um instrumento de regularização e integração do cidadão estrangeiro que procura o nosso país para estudar”, considerou.

O programa ISU vai agora ser estendido aos vários politécnicos e universidades que demonstrem interesse e que desenvolvam os procedimentos necessários para a implementação do mesmo. A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) deve ser a próxima a aderir e implementar o ISU.

 

publicado por Lacra às 08:58
11 de Outubro de 2010

São da Colômbia, do Panamá e da Costa Rica os trinta estudantes do ensino superior que escolheram o Instituto Politécnico de Bragança (IPB) para concluir os seus cursos de licenciatura ou mestrado, ao abrigo do programa “Erasmus Mundus”.

Alguns deles nunca tinham, sequer, saído do país, mas quiseram embarcar nesta “aventura” de estudar na Europa, na expectativa de terem “uma melhor oportunidade de futuro” quando ingressarem no mercado de trabalho.

O IPB deu-lhes as boas-vindas, na semana passada, e atribuiu a todos eles um certificado de aprendizagem intensiva da Língua Portuguesa, um programa gratuito, disponibilizado pelo instituto aos estudantes estrangeiros como forma de promover a sua integração na escola e na cidade.

O funcionamento do programa Erasmus Mundus em Bragança resultou de um convite directo da Universidade Autónoma de Barcelona ao Politécnico, permitindo ao instituto receber alunos de licenciatura e, também, de mestrado, o que é uma “originalidade”, conforme explicou Luís Pais, vice-presidente do IPB.

“Os alunos de mestrado não fazem apenas um semestre de mobilidade, vão ser alunos do próprio instituto financiados por este programa”.

Este alargamento, em termos de internacionalização, à América Latina é visto como uma das “apostas estratégicas” do instituto, a par com outras que já estão em desenvolvimento.

Neste momento, o IPB consegue ter mais de 500 alunos em mobilidade, por ano, e cerca de centena e meia de docentes, não só através do programa Erasmus, mas também no âmbito do programa de mobilidade com as Universidades Federais Brasileiras, um programa não financiado, suportado financeiramente pelas instituições envolvidas.

Em vias de consolidação está, ainda, a constituição de uma Rede de Ensino Superior Lusófono, através do Conselho Coordenador dos Institutos Politécnicos, que é liderado pelo IPB. O objectivo é abarcar os Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa, bem como Macau, onde o interesse pela Língua Portuguesa começa a ganhar cada vez mais adeptos.

 

publicado por Lacra às 08:43
04 de Outubro de 2010

O projecto “3DTech Pro” obteve o segundo lugar, a nível nacional, do concurso Poliempreende, um certame que pretende promover o empreendedorismo dos alunos do Ensino Superior Politécnico e o surgimento de novas e inovadoras empresas.

O “3DTech Pro” é um projecto da autoria de dois alunos licenciados em Engenharia Biomédica e a frequentar o Mestrado em Tecnologia Biomedia, Bruno Magalhães e Elmano Pinto; e de dois docentes do departamento de Tecnologia Mecânica, Luís Queijo e João Rocha.

O objectivo do programa desenvolvido é produzir modelos para utilização médica, nas vertentes educacional e de análise pré-cirúrgica, bem como modelos para a utilização nas áreas das artes ou com utilização em maquetas. Em comunicado à imprensa, salienta-se que o projecto surgiu “da necessidade de obter modelos físicos para análise, estudo, visualização ou aplicações funcionais”.

O que se pretende é criar uma empresa especializada na produção destes modelos, gerados a partir de dados provenientes, quer da modelação geométrica computacional, quer da imagiologia média ou da digitalização tridimensional.

Os promotores consideram, ainda, que o facto de se localizar em Bragança é “uma vantagem competitiva”. “É fácil o recrutamento de mão-de-obra no Politécnico de Bragança e há a proximidade de Castela e Leão, na perspectiva de uma vertente internacional”.

O “3DTech Pro” já tinha vencido a fase regional do Poliempreende, tendo agora alcançado o segundo lugar do concurso, a nível nacional, com um prémio de 7500 euros, patrocinados pela Caixa Agrícola.

Os projectos seleccionados pelo concurso Poliempreende têm resultado na constituição de novas empresas empreendedoras, promovendo a inserção de jovens licenciados no mercado de trabalho.

publicado por Lacra às 10:28
23 de Setembro de 2010

 

 

São trinta os estudantes que vão atravessar o Atlântico, desde a América Latina,  para vir estudar no Instituto Politécnico de Bragança (IPB), ao abrigo do programa Erasmus Mundus.

O IPB candidatou-se a este programa especial de mobilidade em parceria com outras universidades de Espanha, Itália, Finlândia e Polónia e conseguiu ganhar a candidatura, captando, assim, alunos de fora da Europa.

Este é mais um passo que o Politécnico dá no sentido da internacionalização, afirmando-se como uma instituição capaz de captar estudantes a nível mundial, conforme apontou o presidente, Sobrinho Teixeira.

“Já temos vários alunos estrangeiros, provenientes de outros programas de mobilidade, e queremos afirmar essa capacidade de captar cada vez mais estudantes”.

Provenientes da Costa Rica, do Panamá e da Colômbia, estes trinta estudantes escolheram Bragança para continuarem as suas licenciaturas ou programas de mestrado. Os alunos de licenciatura irão ficar na cidade por um período entre seis a 10 meses. Já os alunos de mestrado devem permanecer no instituto durante a duração integral da formação.

Para além dos alunos da América Latina, todos os anos o IPB recebe centenas de estudantes de outros países europeus, ao abrigo do programa Erasmus. No campo da internacionalização, o instituto conseguiu, já, vários protocolos com universidades do Brasil e África. Ainda este ano, coube ao IPB liderar uma iniciativa a que se chamou “Erasmus Lusófono” e que consagrou, também, um acordo de cooperação entre os politécnicos portugueses e o politécnico de Macau para promover a mobilidade de estudantes e professores de ambos os países, numa tentativa de manter viva a Língua Portuguesa no continente chinês.

Nesta primeira fase de candidaturas ao ensino superior é ainda de realçar que o IPB se confirmou como a quinta instituição mais escolhida pelos alunos, a nível nacional. O número de alunos que ingressou no politécnico é ligeiramente superior ao do ano passado, mas há ainda vagas por preencher para a segunda fase de candidaturas.

 

15 de Setembro de 2010

A Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Bragança vai promover, de 28 de Setembro a 1 de Outubro, a Semana do Animal. Ao longo de quatro dias, a alimentação dos cães e gatos, o plano de vacinação e o comportamento e treino vão estar em destaque, com abordagens a cargo de especialistas da área.

No âmbito deste seminário, a Escola Agrária promove, ainda, um concurso de fotografia dedicado ao Reino Animal. O objectivo desta exposição é homenagear os animais, mostrando a grande amizade e cumplicidade que os une aos seus donos ou ao ser humano em geral, assim como assinalar a sua beleza natural, isoladamente ou na natureza.


As fotografias seleccionadas serão alvo de avaliação por parte de um júri nomeado para o efeito e serão atribuídos prémios simbólicos aos três primeiros classificados.

As inscrições estão abertas até 22 de Setembro e são exclusivas para fotógrafos amadores. Os interessados devem apresentar três fotografias, no máximo, e enviar as mesmas em suporte de papel (formato 15x20 cm) para: Concurso de Fotografia – Reino Animal, Escola Superior Agrária de Bragança, Departamento de Ciência Animal, Campus de Santa Apolónia, Apartado 1172, 5301-855 Bragança. Os trabalhos em suporte digital devem ser enviados para o seguinte e-mail: alme@ipb.pt , devendo indicar no “assunto”  a expressão “Concurso

fotográfico reino Animal”. 

As inscrições deverão ser acompanhadas com um título e o nome do fotógrafo. 

 

Foto: os meus gatos, Boneca e Faisca:)

publicado por Lacra às 09:53
03 de Agosto de 2010

Um grupo de estudantes e docentes da Universidade de Pequim, na China, chega a Bragança, amanhã, ao abrigo do novo programa “Erasmus Lusófono”, para aperfeiçoar a Língua Portuguesa e conhecer o espaço e culturas nacionais.

O programa “Erasmus Lusófono” nasceu da parceria entre vários politécnicos do país, entre eles o Instituto Politécnico de Bragança (IPB) e o politécnico de Macau, com o intuito de promover a mobilidade entre alunos e docentes de Portugal e da China, bem como para ajudar a manter a Língua Portuguesa naquele país.

Na China, nomeadamente em Malaca, há uma das maiores comunidades portuguesas, com cerca de cinco mil descendentes lusófonos.

Esta visita, organizada pelo IPB, dá a oportunidade aos estudantes de português, da Universidade de Pequim, a possibilidade de praticarem a língua, conhecerem a região, a cultura, bem como a gastronomia.

Os visitantes do sudoeste asiático vão permanecer na região até à próxima terça-feira, 10 de Agosto. Até lá está agendado todo um programa de actividades que contempla visitas à região transmontana e também à vizinha Espanha, nomeadamente a Zamora e Salamanca, duas cidades com as quais Bragança tem acordado vários programas transfronteiriços.

Esta é uma das primeiras iniciativas que se realiza após o protocolo assinado em Bragança entre os politécnicos de ambos os países, em Janeiro deste ano.

Actualmente, na China, há cerca de 15 universidades que leccionam o Português e o interesse pela Língua e Cultura tem vindo a renascer nestes últimos três anos, conforme apontou, na data do protocolo, o presidente do Instituto Politécnico de Macau, Lei Heong Iok.

A criação do “Erasmus Lusófono” foi uma das primeiras iniciativas inovadoras impulsionadas pelo Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos, presidido por Sobrinho Teixeira, também presidente do IPB. 

publicado por Lacra às 11:01
09 de Abril de 2010

</div>
Lídia da Conceição nunca tinha mexido num computador. “Não sei como é, nem como não é”, dizia à entrada do Instituto Politécnico enquanto aguardava pelo início da formação. Acompanhada por um casal com mais de 80 anos, os três ansiavam pelo primeiro contacto com as novas tecnologias e incitavam as crianças presentes a mostrar o que já sabiam. “Eles já sabem tudo, eu é que nunca mexi! Vamos ver o que consigo aprender”, atirava Manuel António. A iniciativa para o uso das novas tecnologias da informação e comunicação juntou idosos e crianças, avós e netos, em três dias de formação. Os mais novos queriam aprender mais e ensinar os avós e os mais velhos as “coisas” do mundo digital. “Vim com o meu avô mas eu já sei fazer algumas coisas”, contava Tiago, do alto dos seus oito anos. Dos “avós” presentes, alguns também reclamavam saber já “mexer nestas coisas”, mas diziam querer “aprender mais”. “Vim com o meu neto mas também sei algumas coisas. Quero aprender mais porque até morrer estamos sempre a aprender”, dizia Telmo Palas, um dos formandos mais novos, com 53 anos. Orlando Lobo, com 62 anos, também já trabalhava com a Internet há alguns anos mas queria “actualizar-se” e passar algum tempo com o neto. A promoção do conhecimento e o reforço dos laços familiares foram, precisamente, os objectivos definidos pelo projecto, denominado TINA – Tecnologias da Informação para Netos e Avós. Raquel Patrício, docente do IPB e uma das responsáveis pelo projecto, explicou que se pretendeu assim “estabelecer uma maior relação entre avós e netos e fazer com que a Internet e as novas tecnologias possam ser uma ferramenta de comunicação entre ambos”. A ideia de lançar esta formação já tinha surgido há alguns anos, aquando da criação do portal Catraios, um sitio da Internet direccionado para miúdos e graúdos, nomeadamente a crianças do jardim de infância e primeiro ciclo, aos pais e professores. A concretização surgiu agora, em 2010, abrangendo duas Bragança e Mogadouro. Os dois formadores, Raquel Patrício e Vítor Gonçalves, contaram com sete crianças e sete avós em cada uma das localidades. A matéria ensinada versou, essencialmente, o básico para ligar e desligar o computador, criar pastas, criar e editar documentos, navegar na Internet, fazer pesquisas em motores de buscas, criar e trabalhar com contas de correio electrónico, entre outros programas essenciais.
O balanço da primeira formação, que termina hoje, é francamente positivo, pese embora Raquel Patrício tivesse notado algumas “dificuldades iniciais”, nomeadamente junto dos mais velhos. “Alguns idosos mostraram algumas dificuldades iniciais em mexer no rato e no teclado, mas isso é ultrapassado com as restantes sessões”. No seu entender, tanto netos como avós estiveram de parabéns: “todos se mostraram bastante receptivos e interessados em aprender e os netos em ajudar os avós, pois são eles que mostram mais dificuldades com as tecnologias”. A segunda edição do projecto TINA regressa a 27, 28 e 29 de Abril, novamente em Bragança e Mogadouro. As inscrições já estão abertas e são gratuitas. Posteriormente serão ainda realizadas outras acções sobre ferramentas sociais, fóruns de discussão, entre outros, para uma maior dinamização deste projecto junto dos avós e netos.
publicado por Lacra às 08:00



Posts mais comentados
Related Posts with Thumbnails
últ. comentários
obrigado Cris:)
Bem vinda :))
Helder Fráguas sofreu a perda da sua companheira, ...
Para mim e para muita gente a volta às adegas para...
Estou habituado na leitura de blogs on line, adoro...
me llamo fedra soy de santa fe argentina tengo 9 ...
Carissimos,Eu não sei quem inseriu o comentário em...
todos os comentários estão disponíveis e vísiveis.
Como faço para ler os outros comentários ? Ou esse...
deixo aqui o meu comentário; por acaso pude apreci...
subscrever feeds
Locations of visitors to this page
Eu sou Jornalista
pesquisar neste blog
 
Janeiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
blogs SAPO