Dia-a-dia de um distrito rural, doze concelhos e meia dúzia de pequenas cidades encravadas nas montanhas mais a norte de Portugal
29 de Setembro de 2009

 

No rescaldo das legislativas, PS, PSD, CDS, BE e CDU, carregam “baterias” para o próximo acto eleitoral: as autárquicas. O PS ganhou a nível nacional, mas no distrito foi o PSD que arrecadou mais votos elegendo dois deputados, Ferreira Gomes e Adão Silva, enquanto que o PS elegeu um deputado, o cabeça de lista Mota Andrade.

A vitória teve assim um “sabor amargo”, já que o PS contava eleger dois deputados, há semelhança do que aconteceu legislativas de 2005, em que a região elegia quatro deputados.

“A representação parlamentar do distrito fica mais fragilizada”, considerou Mota Andrade, presidente da distrital rosa e segundo deputado eleito pelo distrito. Crítico com a eleição do deputado do PSD, Ferreira Gomes, natural de Penafiel, Mota Andrade considera que “perdeu Bragança e ganhou o Porto”. “Perdemos um deputado, fruto do número de eleitores que não temos para assegurar a eleição de quatro, e perdemos outro deputado que é o cabeça de lista do PSD, que tudo indica que continuará a viver no Porto”, apontou.

Analisando os resultados, concelho a concelho, Mota Andrade, bem como alguns militantes, consideraram que a vitória teria sido possível, se os votos não tivessem ido para o Bloco de Esquerda.

Ainda assim, o deputado e candidato à Assembleia Municipal de Bragança, considera que os resultados “auguram boas expectativas” já que, por exemplo no concelho de Bragança, o PS saiu vencedor em várias freguesias rurais, como Carragosa ou Macedo do Mato.

“Actualmente temos quatro câmaras, queremos ter mais. Alfandega da Fé é uma grande aposta e em Miranda do Douro houve quase um empate, o que neste concelho é um dos melhores resultados do PS na história da democracia. No geral os resultados não são desanimadores para a luta que se aproxima”, considerou.

A vitória PS permitiu a Mota Andrade garantir que a A4, IP2 e IC5 são obras para continuar e que a urgência médico-cirúrgica de Mirandela não vai encerrar. O deputado socialista aproveitou ainda para criticar os “boatos” sobre o encerramento daquele serviço e a aparente “despreocupação” dos autarcas social-democratas sobre o silêncio de Manuela Ferreira Leite sobre o IC5 e IP2, elogiando a posição então assumida pelo presidente da distrital laranja, Adão Silva.

“Lamento profundamente que os autarcas do PSD não se tivessem preocupado, como se preocupou Adão Silva, com o desastre que seria para o distrito se Manuela Ferreira Leite tivesse ganho as eleições, nomeadamente pela paragem do IC5 e do IP2”.

Mota Andrade lembrou ainda o trabalho realizado, como deputado do distrito, durante a anterior legislatura, nomeadamente ao nível do lançamento das acessibilidades e da colocação de serviços, como a ASAE ou a Direcção Geral de Agricultura, na região, garantindo que irá defender com “empenho” os anseios dos transmontanos.

 

Ferreira Leite “foi injusta”

Adão Silva , presidente da Comissão Política Distrital do PSD e terceiro deputado eleito pelo distrito de Bragança no passado Domingo, disse que a derrota do PSD teve um sabor a vitória, porque, a nível distrital, o PSD venceu na maioria dos concelhos, o que traça perspectivas optimistas para as eleições autárquicas.

“Para nós é uma derrota ligeira, com sabor a vitória. No distrito fizemos o que podíamos”, disse. Após os resultados das legislativas, Adão criticou frontalmente a líder do PSD, Manuela Ferreira Leite, tendo começado por dizer que, se no início da campanha o PSD estava numa situação bastante paritária com o PS, “aparentemente a campanha provocou uma perda de votos”. Adão Silva acrescentou que “a derrota a nível nacional foi uma derrota com algum significado”.

O líder distrital criticou ainda, pela primeira vez, abertamente, a escolha que Manuela Ferreira Leite fez para cabeça de lista pelo distrito de Bragança, classificando-a de injusta para com o trabalho feito pelas estruturas distritais e concelhias do PSD. Além de injusta, a atitude da líder nacional foi “sobretudo de um flagrante desrespeito por aquilo que foi uma indicação muito clara a nível da estrutura distrital, que foi aprovar por unanimidade e aclamação um nome”, afirmou Adão Silva, tendo explicado que não se prenunciou antes porque estava em causa um processo eleitoral que não podia ser prejudicado pelas decisões da líder.

Adão Silva sublinhou que colocar no distrito uma pessoa que não o conhece resultou em dificuldades que os responsáveis das estruturas locais procuram colmatar. “Da nossa parte procurámos ter uma atitude de elevadíssima elegância com o senhor professor José Ferreira Gomes, que também aproveito para saudar. Aliás, é por ventura o menor responsável de ter vindo parar como cabeça de lista a Bragança, mas, verdadeiramente, a senhora presidente devia ter tido uma atitude mais certa, mais justa, mais adequada, com aquilo que era o trabalho e as aspirações dos militantes do distrito de Bragança”.

O líder distrital elogiou o trabalho das concelhias do PSD, aos quais atribuiu, sobretudo, os méritos da vitória, e traçou um prognóstico positivo para as eleições autárquicas. Isto porque o PSD ganhou em todos os concelhos onde é Câmara, com excepção de Alfandega da Fé. No entanto, nesse caso a margem de votos de diferença relativamente ao PS foi muito curta e, nesse concelho, tal como em outros, o PSD concorre às autárquicas coligado com o CDS-PP. O PSD venceu ainda em concelhos onde o PS detém o poder municipal, como é o caso de Freixo de Espada à Cinta e Torre de Moncorvo. Apenas Vinhais e Vila For se mantiveram “féis” ao PS nestas eleições.

 

Votos à direita e à esquerda

Quem ganhou mais votos no distrito, em relação a 2005, foi o CDS-PP, o BE e a CDU.

Nuno Sousa, cabeça de lista pelo CDS no distrito de Bragança, considera que foram assim atingidos os objectivos “realistas e concretos da campanha”. O reforço da votação é encarado como o “resultado do trabalho partidário de implementação do CDS”  em concelhos em que os populares eram já dados como “extintos”.

Para Nuno Sousa “começa agora a surgir uma nova chama” que poderá traduzir-se em bons resultados autárquicos já que o CDS apresenta-se, em vários concelhos, coligado com o PSD.

Tal como a nível nacional, a quarta força mais votada no distrito foi o Bloco de Esquerda. O candidato pelo distrito, Luís Vale, admite que o crescimento do BE possa ter sido feito à custa de alguns “votos de protestos” de “classes humilhadas pelo anterior Governo”. No entanto, o dirigente bloquista aponta que o mesmo é válido para outros partidos, como o CDS.

A duplicação do número de votos vem dar ao BE “um novo ânimo” para as autárquicas em que se espera, pelo menos, “uma repetição da votação eleitoral”.

Já para a CDU, mais importante do que os votos foi a “perda de maioria absoluta do PS”, sobretudo no distrito. “Aqui o PS perdeu muitos votos, o que demonstrou o descontentamento dos eleitores da região com as políticas nacionais”.

A candidata pela CDU, Manuela Cunha, admitiu estar consciente que o partido que representa não elegeria nenhum deputado pelo distrito de Bragança, mas salienta que isso não será impedimento para continuar a “dar mais voz ao distrito” na Assembleia da República.

“A CDU foi a força que deu mais voz ao distrito na Assembleia da República e há o nosso compromisso de, mesmo com estes resultados, não deixaremos de defender o distrito de Bragança”, assumiu.

 

Fonte: Mensageiro Notícias

publicado por Lacra às 15:51
18 de Agosto de 2009

Havia algumas vozes que se levantavam contra esta candidatura e levantavam todo o tipo de problemas, no sentido que a mesma não chegasse a ter lugar, mas desta vez perderam”, afirmou Humberto Rocha, o candidato independente à Câmara Municipal de Bragança, ao fim da tarde de ontem, após entregar as listas de candidatos que compõem a sua equipa, no Tribunal de Bragança.

Humberto Rocha criticou a legislação que dificulta as candidaturas de cidadãos independentes e, além dificuldades próprias desse processo, falou de outras, relacionadas com boatos cuja origem prometeu indicar, na campanha eleitoral.

“Para já estamos a ganhar porque conseguimos apresentar uma candidatura, com as assinaturas mais do que necessárias, contrariando todo o tipo de boatos que eram postos a correr. Estamos aqui, estamos para disputar as eleições e o eleitorado, que é soberano, decidirá”, disse.

Ontem, ao início da tarde, apresentaram também as listas e formalizaram as respectivas candidaturas Guedes de Almeida, candidato pelo CDS-PP, Liliana Fernandes, pelo Bloco de Esquerda, Jorge Gomes, pelo PS e Jorge Nunes, pelo PSD. A CDU já havia apresentado as suas listas na passada sexta-feira.

 

Fonte: Mensageiro Notícias

publicado por Lacra às 09:35
17 de Agosto de 2009

Foram vários os partidos que entregaram hoje as listas às autárquicas no Tribunal de Bragança.

A grande surpresa é o independente Humberto Rocha que, tudo indica, estará neste momento a proceder à entrega das listas para avançar sem o apoio de qualquer máquina partidária.

O PS avança com Jorge Gomes, ex governador civil, e com uma lista da qual faz parte Leonel Afonso, que desempenhou o papel de chefe de gabinete ao longo do mandato.

O PSD avança com Jorge Nunes e uma lista da qual faz parte Rui Caseiro, actual vice-presidente, Fátima Fernandes, vereadora da cultura, Hernâni Dias e Milton Roque, nomes polémicos que foram muito contestados no seio do partido.

O CDS/PP vai com o independente Guedes de Almeida. O Bloco de Esquerda aposta em Liliana Fernandes. A CDU entregou as listas na passada sexta-feira, recandidatando novamente José Castro.

 

02 de Julho de 2009

A dirigente nacional do partido “Os Verdes”, Manuela Cunha, foi a candidata escolhida pela direcção de Bragança do partido comunista para encabeçar a lista do distrito de Bragança às próximas eleições legislativas, agendadas para 27 de Setembro.

Natural de Almeirim e vereadora da autarquia naquele concelho, José Brinquete, coordenador distrital da CDU, considera que esta é uma “aposta muito forte” em Bragança e adianta que a CDU tudo fará para “ajudar” a candidata no conhecimento da região.

“Manuela Cunha tem a vantagem de ser uma mulher de grande destaque nacional, com grande capacidade de trabalho e iremos ajudá-la a conhecer a região”, adiantou.

Por seu lado, a dirigente do PEV recordou os vários momentos em que esteve na região, encabeçando a luta pelas linhas ferroviárias do Tua, do Corgo e do Tâmega, ou  na questão do cemitério nuclear em Freixo de Espada à Cinta e de Aldeia d’ Ávila.

“De facto não sou daqui, mas o país é meu. Considero todo o país como meu e dos portugueses. Sei que para cá do Marão mandam os que cá estão e eu não pretendo vir para cá mandar. Pretendo ouvir as populações e fazer chegar a voz das populações junto do poder central”, afirmou.

Com esta candidatura, José Brinquete e Manuela Cunha consideram que a votação na CDU poderá sair reforçada, à semelhança do que aconteceu na última votação para as Eleições Europeias.

A apresentação pública da candidata da CDU pelo distrito de Bragança às eleições legislativas realizou-se na passada terça-feira, num bar da cidade.

Recorde-se que a CDU nunca conseguiu eleger um deputado para representar o distrito de Bragança na Assembleia da República.

publicado por Lacra às 09:41
30 de Junho de 2009

A CDU candidata pela terceira vez à Câmara de Torre de Moncorvo Sidónio Fernandes, um reformado de 76 anos que se mostrou hoje convencido de que a população «está cansada do autarca dinossauro», o socialista Aires Ferreira.

 

Depois das candidaturas de 1993 e 1997, Sidónio Fernandes concorre novamente contra o mais antigo presidente de câmara socialista em Portugal, Aires Ferreira, que foi eleito pela primeira vez aos 26 anos, em 1985, e está na corrida ao sétimo e último mandato por imposição legal.

O candidato da coligação PCP/VERDES acredita que nas eleições de 11 de Outubro a situação «pode ser diferente» para Aires Ferreira.

06 de Junho de 2009

As eleições europeias são já no dia 7 de Junho e as últimas sondagens do Eurostart apontam que o grande vencedor poderá ser a abstenção. A intenção de voto dos portugueses não ultrapassa os oito por cento, um dos valores mais baixos de toda a União Europeia. Porém, este afastamento dos cidadãos não é de agora e foi nesse sentido que o Instituto Politécnico de Bragança decidiu promover, durante duas semanas, a realização de um conjunto de debates com os candidatos dos principais partidos.

O primeiro convidado a participar nesta iniciativa foi o candidato socialista,  Vital Moreira, que aproveitou para destacar que, com acções deste género, o IPB mostra que, “apesar de estar longe de Lisboa, está perto da Europa”, “o que é visível até pelo número de alunos estrangeiros a frequentar a instituição”.

Na iniciativa participou ainda o candidato Manuel Rodrigues, da lista da CDU, de Marisa Matias, da lista do Bloco de Esquerda, e de Carlos Coelho, do PSD.

05 de Maio de 2009

A CDU já definiu os candidatos às autarquias a apresentar nos concelhos de Mirandela, Macedo de Cavaleiros, Torre de Moncorvo e Vinhais.

Por Mirandela irá como cabeça de lista David Martins Garrido, um electrotécnico aposentado, eleito na Assembleia Municipal de Mirandela. Já como cabeça de lista da CDU à Assembleia Municipal daquela localidade irá Fernando Pilão, advogado e membro da direcção regional de Bragança do PCP. Há quatro anos atrás, Pilão foi o cabeça de lista à autarquia de Mirandela pela CDU.

Em Macedo de Cavaleiros, a CDU apresenta como candidato à câmara Carlos Cunha Martins, o actual presidente da Associação Cultural, Desportiva e Ambiental dos Cortiços e também vice-presidente da Assembleia Geral da Associação de Beneficiários de Macedo de Cavaleiros. À Assembleia Municipal vai Maria Idália Mateus.

Sidónio Fernandes é o cabeça de lista à câmara de Torre de Moncorvo, acompanhado por Leandro Vale como cabeça de lista à Assembleia Municipal.

Já em Vinhais, a CDU apresenta Manuel Lousada, um técnico de apoio fabril, natural de Vila Verde (Vinhais). Como cabeça de lista à Assembleia Municipal irá Elizabete Rodrigues, funcionária pública natural de Ousilhão (Vinhais).

 

27 de Abril de 2009

 “Oportunismo político” – é desta forma que a concelhia política do PSD de Carrazeda de Ansiães reage à candidatura de Olímpia Candeias como independente. Num comunicado à imprensa, os sociais-democratas acusam a candidata de se ter servido do PSD e das suas regras para agora se apresentar às autárquicas.

Na apresentação oficial da sua candidatura, Olímpia Candeias afirmou estar “magoada” com o PSD, partido no qual é filiada e pelo qual desempenhou funções de deputada na Assembleia da República, durante oito meses, em substituição de Duarte Lima. Segundo a candidata, o seu nome havia sido aprovado pela distrital do PSD para encabeçar a lista às autárquicas, no entanto, a nível local terá sido “escolhido” outro nome, facto que levou Olímpia Candeias a avançar como independente.

O PSD diz, no entanto, que a candidata foi derrotada em eleições internas livres e democráticas para a escolha do candidato do PSD a presidente da câmara e que não terá aceite a decisão resolvendo avançar de forma independente e “contra o seu próprio partido”.

Olímpia Candeias foi vereador da autarquia de Carrazeda de Ansiães durante dois mandatos, eleita pelas listas do PSD. No entanto, só em 2008 é que se filiaria no partido, tendo apresentado a sua adesão publicamente durante um evento que contou com a presença do então líder Luís Filipe Meneses.

O PSD de Carrazeda de Ansiães considera que o percurso politico da candidata mostra que esta se move “por interesses e ambições pessoais que em nada servem os interesses dos carrazedenses”.

 

Carrazeda pode apresentar sete candidatos

É um dos concelhos com menos população do distrito de Bragança, com apenas sete mil habitantes, mas, este ano, tudo indica que aqui se venham a apresentar sete candidatos às eleições autárquicas, um facto inédito que tem provocado aos partidos algumas dificuldades na formação de listas a todas as juntas de freguesia.

Como independentes avançam Olímpia Candeias e, provavelmente, António Augusto, também membro do PSD e actual vereador do executivo. Já o PSD irá apresentar José Luís Correia, actual presidente da Junta de Freguesia de Vilarinho da Castanheira, e o PS apresentará Augusto Faustino, actual vereador da autarquia.

O CDS, a CDU e o BE, segundo a Rádio Ansiães, devem também anunciar candidatos em breve. 

22 de Abril de 2009

 O Partido Ecologista "Os Verdes" vai tornar público, hoje, o parecer que entregou no quadro de consulta pública da barragem do Tua.

A cidade de Bragança, como capital de distrito, foi escolhida para esta conferência do Tua. Desta forma, "Os Verdes" querem também demonstrar que consideram que o possível encerramento da Linha do Tua e os impactos da construção de uma barragem dizem respeito, não só aos concelhos ribeirinhos do Tua, mas a todo o distrito e a toda a região transmontana, pelas "futuras implicações profundas que terão no seu desenvolvimento futuro".

Na conferência estará Manuela Cunha, da comissão executiva do PEV, e Cláudia Madeira, candidata pelos "Verdes" ao Parlamento Europeu nas listas da CDU.



Related Posts with Thumbnails
últ. comentários
obrigado Cris:)
Bem vinda :))
Helder Fráguas sofreu a perda da sua companheira, ...
Para mim e para muita gente a volta às adegas para...
Estou habituado na leitura de blogs on line, adoro...
me llamo fedra soy de santa fe argentina tengo 9 ...
Carissimos,Eu não sei quem inseriu o comentário em...
todos os comentários estão disponíveis e vísiveis.
Como faço para ler os outros comentários ? Ou esse...
deixo aqui o meu comentário; por acaso pude apreci...
subscrever feeds
Locations of visitors to this page
Eu sou Jornalista
pesquisar neste blog
 
Janeiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
blogs SAPO