Dia-a-dia de um distrito rural, doze concelhos e meia dúzia de pequenas cidades encravadas nas montanhas mais a norte de Portugal
23 de Abril de 2010

 

A gastronomia do concelho de Carrazeda de Ansiães é um bom exemplo de racionalidade económica dos seus habitantes, uma vez que aproveita ao máximo as potencialidades dos recursos endógenos. Para além disso, tratando-se de um concelho eminentemente rural e localizado numa zona de clima rigoroso, no inverno, não é de estranhar que estejam incluídas ementas de grande valor calórico.

 

Mais recentemente, aproveitando um produto de qualidade reconhecida internacionalmente – a maçã – a gastronomia foi enriquecida com novas sobremesas: maça assada regada com vinho generoso, bolo e tarte de maçã.


Restaurantes Aderentes:


Quintinha do Manel, Loteamento Alto do Vilarinho


Europa, Rua Tenente Aviador Melo Rodrigues


Vinhateiro, Rua Aquilino Ribeiro


Careca, Sainça


Casa de Tralhariz, Tralhariz

 

Textos retirados da Agenda Porto e Norte.Come

Fotos retiradas da Internet

20 de Abril de 2010

 

O Castelo de Ansiães já tem um centro interpretativo, um espaço que permite aos visitantes conhecer toda a história e arqueologia daquele local. O novo espaço integra o resultado de uma investigação arqueológica desenvolvida desde 1994, como explicou o arqueólogo Luís Pereira. “A investigação é um processo moroso, mas o resultado é uma peça imprescindível para compreender o castelo”. Até 2005 foram feitas várias investigações no local, com a ajuda de equipas de jovens voluntários que, em Agosto, faziam trabalho voluntário e escavações no local. O objectivo foi tornar o espaço de três hectares numa “imensa ruína com discurso”, como apontou o arqueólogo. “Queríamos levantar os derrubes, montar um acampamento arqueológico de permanência, criar discursos e sinaléticas para que os visitantes possam conhecer o que isto representa para o concelho e para o turismo transmontano”, explicou Luís Pereira. O Castelo de Ansiães integra-se no vale do rio Douro, na freguesia de Selores e, segundo a História, os antecedentes de ocupação humana remontam ao período do Calcolítico. Com mais de cinco mil anos de história, o castelo foi classificado como monumento nacional em 1910. Junto ao castelo situa-se a ruína da Igreja de São Baptista, uma das mais antigas do país. Já dentro das muralhas pode-se visitar a igreja de São Salvador, considerada uma “autêntica jóia” e cujo pórtico românico é dos únicos quatro existentes no país. Com a criação do centro interpretativo a autarquia espera uma maior divulgação do património, como apontou o presidente José Luís Correia. “O Centro Interpretativo será um centro difusor de onde partirão iniciativas para divulgar todas as nossas potencialidades turísticas baseadas no património arquitectónico e arqueológico”. A nova infra-estrutura fica no centro histórico da vila.

publicado por Lacra às 10:36
17 de Abril de 2010

A Associação de Municípios do Douro Superior e os Municípios de Torre de Moncorvo, Vila Nova de Foz Côa e Carrazeda de Ansiães, organizam, de 10 a 13 de Junho, o Passeio Fluvial no Rio Douro- 2010.

A iniciativa já vai no nono ano consecutivo, mas, este ano, a parceria vai permitir realizar passeios náuticos na componente turística e de lazer. A organização quer levar os participantes a desfrutar do Património Mundial do Alto Douro Vinhateiro, património paisagístico e construído, em quatro dias de novas experiências.
Torre de Moncorvo, Vila Nova de Foz Côa e Carrazeda de Ansiães são os locais de destino, e onde estão previstas visitas guiadas. O alojamento está garantido nas mais modernas unidades hoteleiras do Douro, onde se inclui o CS Vintage House.

Os participantes vão ter acompanhamento da organização desde o rio ao local das visitas, refeições e dormidas. Para tal será usado um mini-bus e viaturas 4x4.

O encontro, no primeiro dia, está marcado para as nove da manhã, na Marina de Crestuma, Angra do Douro. Daí será feita a subida do rio através da Eclusa do Carrapatela. O almoço será na Régua e, no final do dia, no Pinhão. No segundo dia a saída é em direcção à Foz do Sabor, com a subida da eclusa de Valeira e almoço na praia fluvial. Durante a tarde está prevista uma visita às gravuras de Foz Côa e à Quinta Ervamoira, com provas de vinhos incluídas. O jantar será numa Adega Típica e as dormidas em Torre de Moncorvo e Vila Nova de Foz Côa.

No terceiro dia os visitantes vão sair do cais da Foz do Sabor em direcção à Senhora da Ribeira, cais no concelho de Carrazeda de Ansiães. Está programada uma vista ao Castelo de Ansiães e à Quinta, com almoço incluído. Depois será feita a descida da eclusa de Valeira, Régua/Bagaúste. O jantar será na Régua, na estalagem Porto Antigo.

O último dia prevê a descida da eclusa do Carrapatelo e chegada a Crestuma às 16h00 da tarde.
As inscrições estão já abertas e limitadas a 25 embarcações. O custo é de 280 euros por pessoa, em quarto duplo, para os quatro dias. As inscrições podem ser feitas através do site www.sabordouro.com ou pelos contactos 964801332 / 964801280.

29 de Março de 2010

Inseridos num concelho em que 70% dos seus sete mil habitantes têm problemas de alcoolismo, muitos dos cerca de 700 alunos do agrupamento de escolas de Carrazeda de Ansiães já têm hábitos exagerados de consumo de vinho. Números que assustam a direcção da escola EB 2.3/S de Carrazeda de Ansiães, que tem vindo a combater nos últimos anos aquele que é um dos maiores problemas deste concelho do distrito de Bragança. A última iniciativa partiu de 18 estudantes do 12.º ano, que criaram uma miniempresa para alertar para os efeitos do álcool e com a qual vão participar num projecto promovido pela EDP.

Para o presidente do Conselho Executivo, Jerónimo Pereira, o problema do alcoolismo é aquele que afecta mais alunos. "Praticamente não temos problemas de toxicodependência, de drogas na escola, o nosso problema é o álcool." Segundo o director, há mais de trinta anos à frente da escola, "ainda na semana passada detectámos que quatro alunos não estariam a comportar-se devidamente, investigámos e descobrimos a causa: uma garrafa de vinho fino que apreendemos".

Ainda segundo Jerónimo Pereira, apenas 12 alunos do agrupamento estão sinalizados pela Protecção de Menores concelhia, a maioria dos quais devido ao absentismo e outra parte devido ao consumo de álcool. "Quase todos têm vinho em casa e muitas vezes sem o conhecimento dos pais vão ao pipo e trazem para a escola. Mas estamos atentos ao problema e conseguimos que de ano para ano o consumo venha a diminuir, não só dentro da escola como fora dela."

O agrupamento age como um todo no combate ao alcoolismo, que segundo a professora Alice Costa conduz ao absentismo escolar, pobreza e sobretudo à violência doméstica. E foi nessa perspectiva que aderiu ao projecto da Fundação EDP "Aprender e Apreender", no âmbito do qual nasceu uma miniempresa de que são responsáveis 18 alunos do 12º ano. A empresa denomina-se 100%SA (ver caixa). Alice Costa coordena este projecto na escola e traça os objectivos: desenvolver uma campanha para o consumo responsável de álcool, um conjunto de programas de prevenção do alcoolismo, pretendendo sobretudo promover a sustentabilidade familiar.

Carina tem 18 anos e integra a 100%SA. "Era imperioso combater este flagelo no nosso concelho, pois o álcool quando consumido em excesso afecta as famílias, e produz fenómenos como a violência escolar e outros malefícios", afirma a aluna.

 

Fonte: Diário de Notícias

03 de Novembro de 2009

O novo executivo camarário de Carrazeda de Ansiães pretende cultivar o diálogo e a cooperação estratégica com os três vereadores eleitos pelo PS (Augusto Faustino) e pelo Movimento Independente (Olímpia Candeias e Marco Azevedo). No discurso de tomada de posse, José Luís Correia, autarca eleito pela coligação PSD/CDS-PP, aproveitou para apelar aos vereadores eleitos que “ultrapassem as fronteiras partidárias e de movimentos” pelos interesses do concelho. Da sua parte ficou o compromisso de assumir os quatro anos de mandato colaborando com todas as forças vivas, “independentemente da cor partidária”, como reforçou.

Consciente das dificuldades e obstáculos que esperam todo o executivo, José Luís Correia garantiu que não desistirá e tão pouco servirá o papel de alimentar “controvérsias”.

Eugénio de Castro, presidente cessante, quis no entanto deixar alguns conselhos. Depois de 20 anos à frente da autarquia, o ex-autarca considerou que será preciso uma “congregação de esforços com os vereadores”, mas apontou para alguns “perigos”:  “Tenho esperança em si, na câmara municipal, que se rodeiem dos melhores, que contem com todos e façam desta terra o que eu não consegui. Mas os que o bajulam, que andam à sua volta, são esses que o vão trair na primeira porta”.

O novo executivo conta apostar prioritariamente em iniciativas que promovam os recursos endógenos, que criem emprego e fixem população. Para tal, José Luís Correia pretende estabelecer um programa que permita um melhor aproveitamento das potencialidades turísticas e de valorização dos produtos locais.

A construção e manutenção de equipamentos colectivos que sirvam as populações é outra das prioridades do executivo PSD/CDS-PP. Prevista está a conclusão do centro cívico, a construção do pavilhão gimnodesportivo, a requalificação urbana da vila e, entre outros, a repavimentação de algumas estradas municipais degradadas.

José Luís Correia tomou posse como presidente da Câmara de Carrazeda de Ansiães no passado dia 31 de Outubro. Adalgisa Barata acompanha-o como vice-presidente, ambos eleitos pela coligação PSD/CDS-PP. Do executivo fazem ainda parte dois vereadores do Movimento Independente e um vereador eleito pelo PS.

 

12 de Outubro de 2009

PPD/PSD.CDS-PP
35,41%
1.766 votos
Mandatos
2
III
34,07%
1.699 votos
Mandatos
2
PS
23,44%
1.169 votos
Mandatos
1
B.E.
2,29%
114 votos
PCP-PEV
0,52%
26 votos
PPM
0,46%
23 votos
 
EM BRANCO
0.82%
41 votos
NULOS
2.99%
149


 

O PS ganha seis câmaras, mantém as actuais quatro que já tinha (Vila Flor, Vinhais, Torre de Moncorvo e Freixo de Espada à Cinta) e ganha Alfândega da Fé e Miranda do Douro.

O PSD ganha em Carrazeda de Ansiães, Bragança, Vimioso, Mogadouro, Macedo de Cavaleiros e Mirandela.

 

Resultados Bragança (provisórios):

 

PSD elege três vereadores, o PS dois e o Movimento Independente "Sempre Presente" um vereador. 

PPD/PSD
48,03%
10.144 votos
Mandatos
3
PS
27,49%
5.805 votos
Mandatos
1
XIII
16,29%
3.441 votos
Mandatos
1
CDS-PP
2,39%
504 votos
 
PCP-PEV
1,64%
346 votos
 
B.E.
1,27%
268 votos
 
 
EM BRANCO
1.49%
315 votos
NULOS

1.4%
295 votos

 

O candidato à câmara pelo PS, Jorge Gomes, já assumiu o encerrar de um ciclo e afirmou que não vai ocupar o lugar na vereação. Apesar da derrota, Jorge Gomes chamou à atenção para a perda de votos do PSD que teve, recordando que era intuito do reeleito presidente ganhar com 65 por cento da votação e viu perder um vereador.

Já o cabeça de lista do Movimento Independente, Humberto Rocha, não quis assumir desde já a eleição para vereador dado que os resultados ainda não estão confirmados oficialmente. No entanto, Humberto Rocha disse já que, caso os resultados se confirmem, irá assumir o seu lugar na vereação e que está disposto para ser oposição responsável. O candidato do Movimento Independente falou ainda das dificuldades que a sua candidatura teve contra os "dois gigantes instalados" - um no poder e outro suportado pelo PS - e aconselhou ambos a tirarem ilações destes resultados eleitorais.

31 de Agosto de 2009

A valorização dos produtos locais, a agricultura, as questões sociais, a regeneração urbana da vila e a aposta nos patrimónios histórico e natural do concelho vão ser as principais apostas da candidatura independente de Olímpia Candeias às eleições autárquicas em Carrazeda de Ansiães.

As linhas orientadoras de um eventual mandato à frente do concelho foram reveladas durante a inauguração da sede de campanha.

A política de proximidade com as pessoas é uma das prioridades.

  

Sobre a sua candidatura, Olímpia Candeias admite que concorrer como independente é muito mais complicado do que fazê-lo debaixo do chapéu de um partido.

Por isso foi necessário trabalho árduo. “Tivemos de percorrer todo o concelho para recolher as assinaturas necessárias e daí a morosidade do processo” afirma.

 

A candidata independente à câmara de Carrazeda está muito satisfeita com a recepção que tem tido junto da população, apesar de não concorrer às Assembleias de Freguesia.

Mesmo assim diz reunir simpatias de vários quadrantes políticos e que tem pessoas nas aldeias que a vão ajudar a ganhar votos. “Tenho pessoas ligadas ao PS, ao PSD, ao CDS e à CDU, todos cabem desde que se identifiquem com o nosso projecto” refere.

 

A candidata revelou ainda que vai aparecer no boletim de voto com o símbolo de um três em numeração romana.

 

Fonte: Brigantia

26 de Agosto de 2009

José Eduardo Barbosa, vitivinicultor de 32 anos, ex militante do CDS, é o cabeça de lista pelo Partido Popular Monárquico pelo circulo eleitoral de Bragança.

A novidade foi avançada hoje, à Lusa, que diz ainda que Manuel Sampayo, engenheiro agrónomo de 39 anos vai concorrer à câmara de Carrazeda de Ansiães pelos monárquicos. 

01 de Agosto de 2009

Há 25 anos atrás a pacata aldeia de Zedes, no concelho de Carrazeda de Ansiães, foi notícia a nível nacional. Não pela famosa anta funerária que ali existe, mas sim pelo discurso polémico proferido pelo então bispo da diocese de Bragança-Miranda, D. António Rafael, no âmbito da realização da II Semana Cultural. Numa análise à situação política e económica que se vivia na altura, D. António concluiu que mandar dinheiro para Portugal era metê-lo num “saco roto”.

Portugal vivia então uma crise económica alarmante que “obrigou” o governo do bloco central (PS/PSD), liderado por Mário Soares e Mota Pinto, a pedir a intervenção directa do Fundo Monetário Internacional (FMI). Foi nesse ano que se verificou uma inflação recorde de 29,3 por cento; um crescimento negativo do Produto Interno Bruto; o aumento do desemprego; o aumento das falências e um número crescente de trabalhadores com salários em atraso.

Muitos portugueses, sobretudo de Trás-os-Montes e da região Norte, encontravam-se emigrados em França, na Alemanha, na Suíça ou no Luxemburgo. Este foi um fenómeno que ocorreu em força sobretudo nos anos 60 e que afectou muito as populações rurais, que, dado os desequilíbrios regionais e o atraso da agricultura, procuraram fontes alternativas de rendimento. As remessas enviadas geravam um fluxo financeiro de grande importância, mas isso não se estava a reflectir em todo o país.

Convidado a reflectir sobre a problemática, D. António Rafael pôs o dedo na ferida: o dinheiro dos emigrantes transmontanos não chegava ao Nordeste Transmontano.

“Vedes como vamos de vias rápidas, estradas, obras públicas, e como estaria todo o distrito, se não fossem as vossas construções de habitação, o desenvolvimento promovido pelos que retornaram do Ultramar e as iniciativas e realizações das autarquias. Não é para o investimento e fomento nacional, porque vós vedes como por todo o país, os edifícios públicos estão em crescente degradação e as empresas nacionais em aceleradas descida para a falência. Os vossos milhões de contos são para financiar o esbanjamento e o lordismo nacional, ou mais exactamente a mandriagem e a corrupção generalizada e retardar a bancarrota. (...) Os emigrantes deviam pedir do Estado que investisse o seu dinheiro no Nordeste, desenvolvendo a região, criando postos de trabalho e condições de vida para o seu regresso, ou então valorizá-lo para vos o terdes à disposição e poderdes investi-lo e aplicá-lo onde quisésseis e como quisésseis. (...)

Estamos a gastar o que não temos e a consumir o que não produzimos. Custa dizê-lo, mas a verdade é esta: mandar dinheiro para Portugal é metê-lo em saco roto”.

A frontalidade e a dureza das palavras ditas quebrariam a placidez de um Verão que se esperava “politicamente frio”. Para além do Mensageiro, dois jornais diários publicariam o discurso de D. António na íntegra, enquanto que outros alimentariam a polémica do “Saco Roto” durante algum tempo.

A expressão ganharia tal força que, em 1985, o jornal Mensageiro tinha inclusive uma coluna com esse nome onde analisava a situação da região e do país.

Passados 25 anos, a Associação Cultural e Desportiva de Zedes e a Junta de Freguesia local vão evocar as memórias desse dia e desses tempos. Assim, hoje, 1 de Agosto, será inaugurada uma exposição com antigos jornais que deram notícia do acontecimento. A associação espera ainda conseguir outros registos, nomeadamente fotográficos, de particulares que tenham estado presentes no evento.

João Sampaio, presidente da direcção da Associação, vai também fazer uma reflexão sobre “o poder da palavra: dada e escrita”.



Posts mais comentados
Related Posts with Thumbnails
últ. comentários
obrigado Cris:)
Bem vinda :))
Helder Fráguas sofreu a perda da sua companheira, ...
Para mim e para muita gente a volta às adegas para...
Estou habituado na leitura de blogs on line, adoro...
me llamo fedra soy de santa fe argentina tengo 9 ...
Carissimos,Eu não sei quem inseriu o comentário em...
todos os comentários estão disponíveis e vísiveis.
Como faço para ler os outros comentários ? Ou esse...
deixo aqui o meu comentário; por acaso pude apreci...
Locations of visitors to this page
Eu sou Jornalista
pesquisar neste blog
 
Janeiro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31
blogs SAPO