Dia-a-dia de um distrito rural, doze concelhos e meia dúzia de pequenas cidades encravadas nas montanhas mais a norte de Portugal
29 de Junho de 2010

O Centro de Arte Contemporânea inaugura, amanhã, a exposição do conceituado pintor Júlio Pomar. O Diário de Bragança visitou a instalação, ainda em curso, e mostra algumas das imagens que poderá ver amanhã, a partir das 18 horas.

Organizada a partir de um discurso expositivo onde o critério cronológico é particularmente evidente, a mostra procura estabelecer o reencontro do espectador com cada um dos períodos, temas e obras mais marcantes da prolífica produção artística de Júlio Pomar. Na imagem, Graça Morais, amiga de longa data do pintor, comenta que o quadro em causa foi pintado quando ela tinha apenas um ano de idade.

Jorge Costa, ao lado de Júlio Pomar, foi o responsável pela escolha das obras do artista e pela organização de toda a exposição.

"Neste momento tenho uma certa preferência pelas exposições deste tipo, que são para um público que não é o habitual dos circuitos, o público dos circuitos já sabe tudo".

"Sinto-me a começar e sempre a jogar o tudo por tudo e as pessoas não entendem isso porque têm tendência a pensar que o artista é de um mundo à parte, com altos raciocínios".

 

Fotos e textos com Direitos de Autor


Já é conhecido o cartaz das Festas da Cidade e de Nossa Senhora do Amparo, em Mirandela. O famoso Fogo de Artificio e a Marcha Luminosa terão algumas alterações que farão a diferença.

 

Com um orçamento mais reduzido devido às restrições da crise que o país vive, a Festa arranca, como sempre, dia 25 de Julho.

 

Segundo os estatutos da confraria, as festas da cidade e Nossa Senhora do Amparo começam obrigatoriamente a 25 de Julho e terminam no primeiro domingo de Agosto.

 

Este ano, calha o evento ter somente uma semana, mas não é por isso que teremos menos festa. Segundo a confraria a parte religiosa terá um maior destaque este ano com a visita da imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima.

 

“As grandes novidades e a grande aposta à no pelouro religioso. Vamos trazer a imagem peregrina de N. Sra. De Fátima”, explica o juiz da confraria, Pedro Cunha.

 A Marcha luminosa e o Fogo de artifício, que se realizam dia 31 de Julho (Sábado) terão novidades.

“A orquestra vai tocar durante o fogo de artifício, ao vivo. Vamos ter teatro de rua. Prometi a maior e a melhor marcha de sempre e acho que se vai realizar.”

 Em ano de crise, também o orçamento terá uma redução.

O juiz da Confraria, Pedro Cunha, apesar de não revelar números, faz um apelo à população para ajudar monetariamente as Festas da Cidade e da padroeira de Mirandela.

 

“Se for por todos, custa menos. Se todos derem dois euros, cinco euros, por todos conseguimos. A festa é para eles e fazemos espectáculos gratuitos.”

 A autarquia irá apoiar a festa em 125 mil euros, como refere António Branco vice-presidente da Câmara de Mirandela.

“Aquilo que desafiámos o grupo é fazer as melhores de sempre mas tendo em conta a contenção de custos. Toda a gente ganha. O subsídio ronda os cinquenta por cento do orçamento total.”

 O programa tenta abranger um vasto leque de gostos e idades, desde os espectáculos de rua, desporto e religioso.

Os espectáculos no parque do império com destaque para Quim Barreiros, Joana, Rute Marlene, maratona de fados, entre outros.

 

Na Zona Verde, no palco alternativo os Mão Morta, the Legendery Tiger Man, Kumpania Algazarra, vários DJ’s e muito mais.

 De 25 de Julho a 1 de Agosto, Mirandela vai estar em Festa.

O destaque passa ainda pela tradicional noite dos bombos, sexta-feira dia 30 de Julho.

 

Fonte: Brigantia

publicado por Lacra às 09:29
28 de Junho de 2010

A Rampa de Bragança, a quinta prova do Campeonato Nacional de Montanha, contou, este ano, com a participação de apenas 17 pilotos, um número abaixo do esperado pela organização, a cargo do Nordeste Automóvel Clube (NAC), que só não cancelou o evento devido aos compromissos assumidos para com os patrocinadores e parceiros.

António Nogueiro, presidente do NAC, admitiu mesmo que, no próximo ano, se o número de inscritos continuar a baixar, a prova terá de ser repensada, embora considere que seria uma perda para toda a região se a mesma não se vier a realizar.

“Não queremos deixar acabar e vamos tentar fazer tudo para que não acabe. É a única prova de automobilismo do Nordeste Transmontano”, apontou.

A distância e o isolamento, a par com as inúmeras provas que se realizam em todo o país, são factores que, no entender do responsável, têm afastado mais pilotos da Rampa de Bragança.

“Os pilotos não vêm porque ficamos longe de tudo e as despesas são maiores e quando há avarias pode ser complicado”, apontou.

Ainda assim, a prova foi participada pelos principais concorrentes do Campeonato. Paulo Ramalho foi o grande vencedor da geral e da categoria 2, tendo até abdicado da terceira subida dada a vantagem que tinha sob os seus outros 16 adversários.

No final, o piloto do Juno contou que prescindiu da terceira subida por uma questão de “poupança de material”.

“A última subida era opcional e optei por não fazer para poupar material”, contou, fazendo um balanço extremamente positivo de toda a prova.

O piloto considerou ainda que a ausência de muitos concorrentes se pode ficar a dever à crise económica, embora tenha apontado que “os principais” marcaram presença.

“A nível organizativo é a melhor Rampa. Tratam-nos muito bem e são muito atenciosos. As subidas são boas, tem duas secções que são feitas a fundo e o carro está espectacular, foi sempre a bombar por aí acima”, contou.

Já em 2008, Paulo Ramalho venceu a Rampa de Bragança mas, este ano, conseguiu melhorar o tempo em cerca de dois segundos, tendo finalizado com um total de 4minutos e 49 segundos no somatório das duas subidas.

Na categoria 1, o vencedor foi António Nogueira, com o Porshe 911 e, na categoria 3, ganhou Martine Pereira com o Lola T70.


O Centro de Arte Graça Morais vai expor, no dia 30 de Junho, algumas das mais importantes obras de Júlio Pomar, um dos mais notáveis artistas do panorama da pintura portuguesa do século XX, com um amplo reconhecimento internacional.

“Uma antologia” é o título do acervo que permanecerá naquele espaço até ao dia 17 de Outubro e que integra algumas das primeiras obras do pintor, nascido em Lisboa em 1926. Organizada a partir de um discurso expositivo onde o critério cronológico é particularmente evidente, a mostra vai procurar estabelecer, dentro das possibilidades do espaço arquitectónico do Centro de Arte, o reencontro do espectador com cada um dos períodos, temas e obras mais marcantes da prolifica produção de Júlio Pomar.

A vinda das obras deste importante pintor coincidem com o segundo aniversário do espaço cultural brigantino e foram uma escolha do comissariado, liderado por Jorge Costa, director do Centro de Arte Contemporânea, que assim vai possibilitar ao público conhecer melhor o grande Mestre Júlio Pomar através das várias obras produzidas ao longo do tempo.

Para a região transmontana esta será a “grande oportunidade” de ver de perto a obra daquele que é considerado um dos maiores pintores portugueses. É algo que Graça Morais qualificou já de “extraordinário”, não só para o Centro de Arte Contemporânea, mas para todo o país.

O Centro de Arte Contemporânea vai ainda homenagear Júlio Pomar, no dia 1 de Julho, estando as intervenções a cargo de Laura Castro e Vasco Graça Moura.

Júlio Pomar nasceu em 1926, em Lisboa, e instalou-se em Paris em 1963. Frequentou a Escola de Artes Decorativas António Arroio e as Escolas de Belas Artes de Lisboa e Porto e, em 1963, instalou-se em Paris. Opositor do regime de Salazar, Júlio Pomar fez muitas vezes da arte um veículo de intervenção sócio-política. Uma das suas obras mais emblemáticas foi o mural que fez para a decoração do Cinema Batalha, no Porto, que foi mandado destruir pela polícia política poucos meses depois da abertura da sala ao público. Anos mais tarde, Júlio Pomar afirmaria que foi Salazar que fez dele um pintor já que, foi por causa de algumas obras que se viu impedido de seguir a carreira de docente e, sem qualquer outro suporte financeiro, viu-se “obrigado” a viver da sua produção artística. A sua longa carreira leva, no entanto, a que a sua pintura seja hoje considerada como “transversal a todos os principais movimentos surgidos nos últimos sessenta anos”, sendo um dos artistas portugueses mais reconhecidos, com uma obra diversificada, desenvolvida ao longo de mais de 50 anos de trabalho.

 

 

 

27 de Junho de 2010

A campanha de segurança nas praias portuguesas arrancou, pela primeira vez, na Praia da Ribeira da Paisagem Protegida da Albufeira do Azibo. “Verão de Campeão” é uma iniciativa do Instituto de Socorro a Náufragos (ISN) e da Fundação Vodafone, que visa a sensibilização e o incremento da cultura de segurança junto de todos os que frequentam estes espaços.

A praia do Azibo é uma praia vigiada há vários anos e um exemplo, a nível nacional, pela ausência de acidentes mortais. Ainda assim, todos os anos se registam ocorrências pelo que Costa Andrade, comandante do ISN considera que nunca é demais insistir no cumprimento “escrupuloso” das regras de segurança.

“Todas as praias são potencialmente perigosas quando não se cumprem as regras elementares”, considerou o comandante, apontando que o grande objectivo do ISN é fomentar a cultura da segurança junto de todos os que frequentam as praias.

Este ano, a campanha visou sobretudo a transmissão de conceitos pedagógicos e a exploração de situações perigosas junto das crianças através de jogos lúdicos. Foi ainda realizado um simulacro de salvamento de um afogamento em que houve intervenção dos nadadores-salvadores, sob a direcção do ISN.

A Praia da Fraga da Pegada e a praia da Ribeira são duas praias que, durante a época balnear, dispõe da vigilância dos nadadores-salvadores, estando ainda dotadas de todas as infra-estruturas e equipamentos necessários. A visita de milhares de pessoas, durante o Verão, faz com que a segurança seja uma aposta primordial da câmara de Macedo, em conjunto com todas as outras entidades com responsabilidades na matéria.

“As praias podem estar bonitas, ter todas as condições e infra-estruturas mas se houver acidentes é todo um trabalho e uma imagem que fica prejudicada”, considerou o presidente da câmara, Beraldino Pinto.

Na praia da Ribeira, daquilo que é a experiencia de Hugo Ribeiro, um dos nadadores-salvadores a trabalhar no local há duas épocas consecutivas, o que levante mais ocorrências é a falta de precaução, nomeadamente de alguns visitantes que pretendem aceder à plataforma existente na água ou que tentam levar as crianças até lá.

“As crianças querem ir para lá e os pais tentam levar e, muitas vezes, não sabem nadar muito bem ou atrapalham-se com o transporte”, contou, apontando que a falta de respeito pelas regras de segurança estão sempre na base das ocorrências registadas. No ano passado, naquela praia, o nadador-salvador teve de intervir doze vezes mas em nenhuma delas houve perigos de maior.

A par da abertura da campanha de segurança para 2010, a Praia da Ribeira e a Praia da Fraga da Pegada hastearam, novamente, as Bandeiras Azuis e de Acessibilidade, dois galardões atribuídos pelo Instituto Nacional da Água que comprovam a excelência do local.

 

25 de Junho de 2010

As Comissões de Protecção de Menores têm de actuar no terreno de forma mais cuidada e avaliar vários factores de risco antes de sinalizarem uma criança.

Elisa Vieira, pedopsiquiatra do Centro Hospitalar do Nordeste, contou que tem sido chamada, por diversas vezes, a Tribunal por pais e familiares que se recusam a dar permissão às Comissões para actuarem na família e que, muitas vezes, estes pais têm razão.

“Às vezes chegam-me casos de crianças que foram referenciadas porque não aprendem na escola, mas e o resto?”, questionou, apontando que a pobreza, por si só, ou as dificuldades de aprendizagem, não devem ser avaliados sem ter em conta outros factores.

“As Comissões deviam ser mais cuidadas e ponderar melhor os factores de risco, a protecção, a vulnerabilidade e a resiliência da própria criança”, apontou.

É que, por vezes, coloca-se a possibilidade de institucionalização de crianças provenientes de famílias pobres sem ter em conta os afectos existentes e outros factores.

“Não é por ser pobre ou porque dormem todos no mesmo quarto que se vai retirar uma criança à família, nem sempre são crianças em risco”.

Elisa Vieira considera que estes casos devem ser melhor avaliados até porque em causa está sempre a bagagem afectiva e cognitiva da própria criança: “há crianças que aproveitam todas as oportunidades e são óptimos alunos embora sejam criadas sem regras”.

A pedopsiquiatra considerou ainda que é necessária uma maior intervenção precoce e a necessidade de integrar mais profissionais desta área. Elisa Vieira é a única profissional da área a trabalhar no Centro Hospitalar do Nordeste, acompanhada de uma psicóloga.

As Comissões de Protecção de Menores intervêm nas áreas dos municípios e são integradas por um representante do município, outro dos serviços do Ministério da Educação, um médico, um representante das instituições particulares de solidariedade social, um representante das associações de pais, dois das forças de segurança, quatro da Assembleia Municopal e técnicos que venham a ser cooptados pelas comissões.

publicado por Lacra às 06:06
24 de Junho de 2010

O Nordeste Automóvel Clube mostrou a sua desilusão em relação ao número de inscritos para a Rampa de Bragança 2010.

Em comunicado, a direcção do clube faz saber que a prova deste ano só não foi anulada, porque existem compromissos com empresas comerciais impossíveis de anular. Para o Clube, o esforço que está a ser feito para esta organização, não está a ter o retorno devido, já que nem pilotos nem investidores publicitários, respondem ao chamamento para este tipo de iniciativas.

A desilusão do NAC vai ainda mais longe, quando se refere à eventual transmissão televisiva do evento, e diz "...no dia em que as condições económicas o permitam, tentaremos “comprar” o Serviço Público de transmissão televisiva a fim de nos dar uma ajuda com a transmissão de coisas públicas que por terem lugar no interior do País merecem estar nas primeiras linhas dos editoriais do serviço que come uma boa percentagem dos nossos impostos..."

Apesar de tudo, o NAC garante que Bragança vai receber uma boa prova, já que estão reunidas condições para o espectáculo motorizado. A animação principal passa pela Categoria 2. Com a ausência do actual campeão absoluto, Pedro Salvador, a discussão em pista passa por Paulo Ramalho, António Barros e João Portinha. Um dos três poderá chegar ao final da Rampa da Serra de Nogueira em primeiro lugar. Para já, a diferença no Campeonato entre Paulo Ramalho(1º) e António Barros(2º) é de apenas um ponto, que Barros quer anular este Domingo, disse "...estou pronto para lutar pela vitória, o meu carro está impecável, sei que não vai ser nada fácil, pois o meu principal adversário, o Juno SSE do Paulo Ramalho tem uma rampa com muitas rectas, por isso mais favorável para ele. Mas há que lutar até ao fim, é por isso que eu corro, aliás isso é mais um factor motivante que me leva aos limites do BRC CM 05 Evolution, e quem sabe senão poderá haver alguma surpresa, que por vezes surge no nosso automobilismo, e o Campeonato Nacional de Montanha não é excepção”.

Apesar de estar centrado em Paulo Ramalho, o piloto não esquece que tem à perna João Portinha, “é verdade, está de prova para prova a andar cada vez mais depressa, é outro adversário que respeito muito, aliás penso que o Campeonato está ao rubro, muito disputado e espero que tudo me corra de feição”, acrescentou. Entretanto Paulo Ramalho também reafirmou as sua intenções e virá a Bragança defender a liderança no Campeonato de Portugal de Montanha e por isso, também quer ganhar. Na categoria 1, a liderança é inequívoca para o piloto de Murça, António Nogueira, que em Bragança deverá repetir a vitória do ano anterior.

Na Categoria 3 as atenções vão estar voltadas para o Lola T70 de Martine Pereira, quer pela espectacularidade do carro, quer porque foi o vencedor da Rampa de Murça, facto que muito motivou o piloto, que já declararou "vou para ganhar, o carro está impecável, bem afinado. É uma rampa que gosto muito, bem rápida, de acordo com as características do meu Lola T 70, e só espero que tudo corra bem, e me possa divertir com os meus adversários em pista e amigos fora da prova". Atento vai estar também Armando Sainhas, qu

e não quer perder vantagem sobre Martine Pereira, já que os dois pilotos estão em ex-equo com 16 pontos no Campeonato Clássicos Montanha. Com as temperaturas previstas a rondar os 25ºC, espera-se um domingo de céu nublado com possibilidade de ocorrência de aguaceiros.

 

Fonte: Brigantia

publicado por Lacra às 16:37

A concentração de escolas e a transferência de crianças de estabelecimentos de ensino localizados em meios rurais para o meio urbano, onde a escola é frequentada por alunos de várias idades, está a provocar um aumento no número de casos em acompanhamento de pedopsiquiatria.

A constatação foi feita por Elisa Vieira, a única profissional pedopsiquiatra do Centro Hospitalar do Nordeste que, desde há 15 anos, faz o acompanhamento das crianças do distrito de Bragança e até de alguns concelhos limítrofes do distrito de Vila Real, durante uma conferência sobre a temática, promovida pelo Instituto Piaget de Macedo de Cavaleiros.

A profissional considera que o fenómeno da concentração de alunos está a fazer com que muitas crianças fiquem desprotegidas ao estarem longe da família, tornando-se mais vulneráveis pela perda de “factores protectores”.

“Uma criança que venha de uma aldeia recôndita tem de sair de casa de madrugada para chegar à escola onde há imensos alunos de diferentes idades, essa criança não fica bem”, apontou Elisa Vieira.

Embora seja justificado que as crianças não se encontram no recinto escolar porque os intervalos não são coincidentes, a profissional questiona se tal não acontece durante a hora da refeição. Outra das situações que preocupa a pedopsiquiatra e que foi constatado por ela própria é o caso das crianças que chegam à escola e têm de aguardar na rua pela abertura do estabelecimento.

“Eu própria constatei que muitos alunos chegavam e ficavam ali isolados à espera que a porta abrisse, são crianças que estão vulneráveis”, contou.

Tudo isto tem resultado num aumento do número de casos de crianças que chegam à unidade de Pedopsiquiatria com alterações de comportamento, inibições intelectuais, dificuldades de aprendizagem, e medos.

Elisa Vieira considera que seria mais positivo que as crianças permanecessem nas escolas primárias da localidade, mesmo nos casos em que há menos de 21 alunos: “é sempre suficiente porque existe uma professora, existe uma auxiliar de educação e outros profissionais que podem ajudar a criança a superar as suas dificuldades, mesmo as dificuldades afectivas porque nas aldeias há sempre a família alargada e o afastamento da família é superado”.

A opinião é partilhada por vários pais e professores que se têm manifestado contra a fusão de escolas que vêm com muita preocupação o convívio entre crianças com tanta diferença de idade.

 


Bragança recebe, esta sexta-feira, 25 de Junho, e até 27 de Junho, o Campeonato Nacional de Juniores em Hóquei Patins – o Final Four.  Benfica - FC Porto é o principal encontro agendado para o primeiro dia, estando ainda por definir se o Turquel terá como adversário o ACR Gulpilhares ou o OC Barcelos. O adversário só será conhecido quarta-feira à noite, depois da repetição do Óquei de Barcelos-Gulpilhares deliberada pelo Conselho de Disciplina da Federação de Patinagem de Portugal e já depois do fecho da edição deste jornal.

O encontro entre o Turquel e o Benfica realiza-se no dia 26 de Junho, dia em que o F.C.Porto jogará com o Gulpilhares ou com o Barcelos.

No domingo mais um grande encontro: Turquel-F.C.Porto, seguido de um encontro do Gulpilhares ou do Barcelos com o Benfica.

Os encontros vão ter lugar no Pavilhão Municipal de Bragança e a entrada é livre. A organização está a cargo do Clube Académico de Bragança (CAB) que se candidatou a este evento com o objectivo de motivar os atletas mais novos, conforme explicou o presidente, Fernando Gomes.

“Os nossos atletas mais jovens têm necessidade de ver jogos maiores, é uma das nossas lacunas. Com esta organização, queremos ver crescer a modalidade e motivar os atletas”.

A Final Four traz de novo a Bragança antigos jogadores do CAB, embora já não como jogadores, como é o caso do treinador do Benfica juniores.

O presidente recordou que o CAB teve atletas na Selecção Nacional que alcançaram o título de campeões europeus e que hoje representam grandes clubes. Um passado glorioso que Fernando Gomes quer replicar, apostando no crescimento da modalidade e na motivação dos atletas.

23 de Junho de 2010

 

 

Numa altura em que está obrigado à contenção de custos e à redução da despesa, o Centro Hospitalar do Nordeste (CHNE) contratou o presidente do Núcleo Empresarial de Bragança para o recém-criado Gabinete de Risco.

 

Uma contratação que está a causar polémica.

 

A contratação de Rui Vaz, candidato derrotado do PS às eleições para a Câmara de Macedo de Cavaleiros, aconteceu dias antes de a ministra da Saúde proibir as contratações por parte dos hospitais com a despesa no vermelho, como é o caso do Centro Hospitalar do Nordeste.

Rui Vaz licenciou-se recentemente em Psicossociologia das Organizações e foi contratado por um ano para chefiar o recém-criado Gabinete de Risco. “Está integrado no Gabinete da Qualidade e eu integro a equipa que tem a incumbência de fazer a gestão do risco” explica.

 

O até aqui empresário vai, também, manter-se à frente do NERBA, o Núcleo Empresarial da Região de Bragança. “Não se trata de acumular nem de abdicar por uma razão muito simples: eu sou presidente do NERBA porque represento uma empresa, o associativismo não remunerado é perfeitamente conciliável com as funções que exerço, portanto, não vou abdicar e cumprir a minha missão levando o mandato até ao fim” garante.

 

Uma contratação que está a criar polémica, sobretudo pela ausência de concurso público, e que, segundo foi possível apurar, não foi bem vista por alguns quadrantes da Federação Distrital do PS.

A Administração do CHNE mandou dizer que “foram cumpridos integralmente os procedimentos normais para este tipo de contratação a prazo”, mas a verdade é que não houve um verdadeiro processo concursal.

 

Rui Vaz prefere evitar polémicas. “Neste momento eu sou um técnico superior, fui incumbido desta função que estou a exercer” refere. Relativamente ao plano de risco do CHNE “está a ser bem feito e sinto-me à altura para levar por diante esta tarefa”.

 

Curiosamente, o plano de risco do CHNE já vinha sendo implementado há mais de um ano.

Já se realizaram, inclusivamente, vários simulacros nos três hospitais do distrito de Bragança que serviram de teste precisamente a esse plano de risco.

 

Fontes ligadas ao PS e ouvidas pela Brigantia, admitem que esta contratação poderá ter sido solicitada por Mota Andrade, presidente da Federação Distrital do PS, como forma de premiar a prestação de Rui Vaz nas recentes eleições autárquicas.

Contactado pela Brigantia Mota Andrade recusou prestar declarações sobre o assunto por considera que não é uma matéria da sua competência.

 

 

Fonte: Brigantia



Related Posts with Thumbnails
últ. comentários
obrigado Cris:)
Bem vinda :))
Helder Fráguas sofreu a perda da sua companheira, ...
Para mim e para muita gente a volta às adegas para...
Estou habituado na leitura de blogs on line, adoro...
me llamo fedra soy de santa fe argentina tengo 9 ...
Carissimos,Eu não sei quem inseriu o comentário em...
todos os comentários estão disponíveis e vísiveis.
Como faço para ler os outros comentários ? Ou esse...
deixo aqui o meu comentário; por acaso pude apreci...
subscrever feeds
Locations of visitors to this page
Eu sou Jornalista
pesquisar neste blog
 
Junho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
13
16
19
20
26
30
blogs SAPO