Dia-a-dia de um distrito rural, doze concelhos e meia dúzia de pequenas cidades encravadas nas montanhas mais a norte de Portugal
31 de Dezembro de 2009

Janeiro

Frio e sucessivas quedas de neve “alarmaram” transmontanos:  Câmara de Bragança gastou 50 toneladas de sal numa só semana. Aldeias de Mirandela ficaram sem electricidade devido ao peso do gelo nas linhas. Várias localidades ficaram isoladas e ocorreram inúmeros acidentes.

 

Globalização ameaça Língua Mirandesa: Nos dez anos do mirandês como segunda língua oficial de Portugal, os estudiosos da "lhéngua" alertam: apesar de não estar em perigo, o mirandês está ameaçado pela modernização, sendo importante criar mecanismos para a sua manutenção.

 

Centro de Arte Contemporânea Graça Morais de Bragança distinguido pelos Prémios Turismo de Portugal 2008 como um exemplo da requalificação de projectos públicos.

 

Mirandela: obras do Museu da Oliveira e do Azeite arrancam com data de conclusão prevista para Janeiro de 2010

 

Cimeira Luso-Espanhola realizada em Zamora aponta TGV como “resposta à crise”. Manifestantes de um lado e de outro da fronteira reivindicam acessibilidades, mas saem sem respostas.

 

Greve dos professores paralisa escolas da região transmontana: nas 21 escolas do distrito de Bragança a greve rondou os 80 por cento.

 

Príncipes de Espanha, Letizia e Filipe, visitam Bragança

 

Aerovip passa a operar na carreira aérea Bragança – Lisboa substituindo a Aerocondor.

 

Fevereiro

Movimento Cívico de Utentes da estrada Bragança/Dine (308-3: População de aldeias do concelho de Bragança une-se e cria um Movimento para a requalificação de uma estrada nacional. Concurso para a requalificação foi lançado no final deste ano.

 

Projecto Funzone, para Alfândega da Fé, cai definitivamente por terra. Autarquia assume dívida de milhões de euros.

 

Obras na barragem do Baixo Sabor avançam em força

 

Barragem de Foz Tua questionada por autarcas e população. Declaração de Impacte Ambiental impõe à EDP a construção de uma alternativa.

 

Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário assina protocolo com autarquia de Mirandela e Bragança para gerir os futuros hospitais privados da Terra Quente e “Duque de Bragança

 

Março

Presidente da autarquia de Alfândega da Fé anuncia retirada da vida política no final do mandato

 

Governo constrói carreira de tiro em Castelãos, no concelho de Macedo de Cavaleiros, para servir a PSP e GNR

 

Guedes de Almeida, deputado do PSD na Assembleia Municipal de Bragança, assume-se como candidato independente à autarquia local

 

Macedo de Cavaleiros regressa ao campeonato nacional de rally TT e recebe a prova “Rali TT Serras do Norte”

 

REFER decide encerrar Linha do Tua por tempo indeterminado

 

Abril

Maioria dos autarcas do distrito decide recandidatar-se

 

Docente do IPB é premiado nos EUA pela criação de um sistema que detecta o modo "standby" dos equipamentos electrónicos e corta a corrente eléctrica quando esta não for necessária

 

MK, membro do grupo do Eskuadrão Furtivo, de Bragança, lança a primeira Mixtape.

 

SAP’s encerram mas deixam médico à chamada

 

Mirandeses reclamam acesso aos hospitais em Espanha devido à falta de acessibilidades condignas à capital de distrito

 

Maio

Berta Nunes assume-se como candidata socialista à câmara de Alfândega da Fé

 

Centro de Arte Contemporânea recebe obras dos grandes pintores portugueses, obras do acervo do Millenium BCP

 

Projecto Novos Povoadores com candidatos para Bragança: 14 famílias do Porto e Lisboa pretendem povoar o distrito e aplicar aqui projectos de empreendedorismo

 

Humberto Rocha, militante do PS de Bragança, assume-se como candidato independente à câmara de Bragança

 

Alberto João Jardim vem a Bragança falar sobre a importância da regionalização

 

Ministro da Cultura compara falantes do mirandês aos “loucos gauleses” do Asterix

 

É inaugurado o Museu de Arte Sacra de Vinhais e de Macedo de Cavaleiros

 

É inaugurado o Centro de Saúde de Santa Maria em Bragança

 

Jorge Gomes renuncia ao cargo de Governador Civil para concorrer pelo PS à câmara de Bragança

 

Junho

PSD vence as Eleições Europeias e elege Paulo Rangel

 

Américo Pereira, autarca de Vinhais, e Carlos Costa, dirigente local do PSD, acusam-se mutuamente em tribunal. Américo Pereira foi inocentado de todas as acusações feitas pelo opositor

 

Trás-os-Montes destaca-se no mapa dos incêndios como a região com mais hectares de área ardida

 

Julho

IPB lança curso inovador em todo o país – Web Design de Jogos Digitais

 

Centro de Arte Contemporânea recebe obras de pintura de Paula Rego

 

CDS/PP apadrinha candidatura de Guedes de Almeida

 

Ponte de Quintanilha abre ao trânsito depois de ter estado encerrada mais de dois anos à espera da conclusão dos acessos do lado espanhol

 

Festival Intercéltico de Sendim assinala dez anos e passa a fazer parte de um programa da Direcção Regional da Cultura do Norte que abarca mais dois festivais e uma feira de música no Planalto Mirandês

 

Luís Vaz, deputado do distrito de Bragança eleito pelo PS, defende na Assembleia da República o fim da Linha do Tua

 

Agosto

Inaugurado Centro Policial de Quintanilha, uma infra-estrutura que integra  elementos das várias forças de segurança desde o SEF, GNR, PSP, Polícia Judiciária e Autoridades Aduaneiras, bem como as forças de segurança espanholas, nomeadamente a Guarda Civil, o Corpo Nacional de Polícia e as Alfândegas

 

PSD apresenta lista de deputados e coloca à cabeça José Ferreira Gomes, um ilustre desconhecido natural de Penafiel

 

Praia fluvial do Azibo, em Macedo de Cavaleiros, recebe Grand Slam, o penúltimo circuito do Campeonato Nacional de Voleibol de Praia

 

Primeiros casos de gripe A confirmados no distrito

 

Incêndio na Linha do Tua destrói património ferroviário

 

Centro Hospitalar do Nordeste inaugura novo serviço de urgência em Bragança

 

Setembro

 

Manuela Ferreira Leite visita Bragança em campanha para as legislativas. Militantes envolvem-se em desacatos com popular e confusão acaba em estalos

 

Sócrates vem a Bragança pedir votos e recordar o lançamento da auto-estrada transmontana, do IP2 e do IC5

 

Resultados das legislativas ditam perda de um deputado do PS em Bragança. Sai Luis Vaz, fica apenas Mota Andrade. PSD elege Ferreira Gomes e Adão Silva.

 

GNR e Bombeiros desentendem-se durante um incêndio em Vimioso. Liga dos Bombeiros reclama da actuação dos militares perante situações de uso de contra-fogo

Outubro

 

Outubro

PS e PSD dividem câmaras no distrito de Bragança. PS ganha câmara de Miranda do Douro, Alfandega da Fé e mantém Freixo de Espada à Cinta, Torre de Moncorvo, Vinhais e Vila Flor. PSD reconquistou a câmara de Mogadouro, Bragança, Vimioso e Mirandela, esta última com a melhor votação de sempre. Os sociais-democratas ganharam ainda a câmara de Macedo de Cavaleiros e Carrazeda de Ansiães em coligação com o CDS-PP.

 

Documentário “Pare, Escute e Olhe” sobre a Linha do Tua é apresentado no Doc Lisboa e arrecada inúmeros prémios

 

João Cutileiro expõe pela primeira vez em Bragança, no Centro de Arte Contemporânea

 

Barragem do Baixo Sabor emprega meio milhar de trabalhadores e avança a todo o gás

 

Armando Vara, natural de Vinhais, é arguido num caso de alegado tráfico de influências que envolve outras personalidades da vida política

 

 

Novembro

Tribunal de Contas chumba auto-estradas transmontanas

 

Vinhais cria primeira escola para crianças autistas no distrito de Bragança

 

Freixo de Espada à Cinta afirma-se no desporto motorizado e recebe campeonato nacional de MX2

 

Jorge Gomes é novamente indigitado pelo Governo para o cargo de Governador Civil, um regresso fortemente criticado inclusive dentro da concelhia socialista de Bragança

 

Dezembro

 

Associação Portuguesa dos Business Angel’s assina protocolo com instituições da cidade de Bragança para o apoio de projectos de jovens empreendedores

 

Mirandeses Galandum Galundaina lançam novo disco

 

Centro Hospitalar do Nordeste anuncia ampliação da unidade de AVC, em Macedo de Cavaleiros

 

Neve e tempo frio colocam região em alerta e condicionam acessos a várias localidades

 

Queda de pedras corta linha do Tua

 

Enxurradas provocam estragos na região


FELIZ 2010!

publicado por Lacra às 00:00
30 de Dezembro de 2009

Nem só de passas, dinheiro no bolso, cuecas azuis, barulho e foguetes se faz a passagem de ano. Enquanto algumas tradições persistem na celebração da maioria dos portugueses,  outras há que são específicas de uma região.

 As Festas dos Rapazes realizadas no Nordeste Transmontano, com mascarados, no período do solstício de Inverno, numa altura em que as temperaturas atingem vários graus negativos, são rituais únicos.

Esta região é pródiga em rituais de passagem e em várias aldeias é possível assitir a desfiles de mascarados (podem ser “caretos”, “máscaras”, “carochos”, “chocalheiros” ou “mascarados”) que percorrem os caminhos da terra vestindo fatos de serapilheira, máscaras de latão ou madeira e chocalhos à cintura. É a Festa dos Rapazes, típica das terras circundantes a Bragança, e que acontece entre o Natal e o Dia de Reis, ano novo incluído.

A missão destes jovens que encetam um ritual de passagem para a idade adulta, em que vale tudo, é louvar os mortos, castigar os males sociais e purificar os habitantes.

Na mesma região mas desta feita em Vale Salgueiro, Mirandela, o ritual, que também representa uma passagem da vida infantil para a adulta, é mais polémico, já que incentiva as crianças a fumar.

Em Trás-os-Montes também permanecem alguns cultoscomo o do  fogo. Conforme as povoações, fazem-se enormes fogueiras para celebrar o Natal (Fogueira do Galo), dos Santos ou do Ano Novo.

Ainda em Bragança, na aldeia de Réfega todos os anos se constrói um boneco feito de trapos e palha, representando o ano velho, que é queimado na noite de 31 de Dezembro.

Antes da chegada do ano novo, os habitantes de Réfega preparam um ramo composto por doces, frutos e cigarros o que, segundo a crença, o transforma numa árvore fértil.

No dia de ano novo o ramo é leiloado em hasta pública, revertendo as dádivas para as despesas desta Festa do Ramo.

Já em Rio de Onor, que também cultiva a tradição do ramo, este ritual é protagonizado pelas jovens da terra, que recolhem géneros para encher o ramo pelas casas da aldeia. Desta feita, a base é a chouriça e o salpicão. Este ramo também pode ser enfeitado com guloseimas, chocolates e bolos. No final, o ramo é leiloado e os proveitos revertem em favor de Nª. Srª. de Fátima, a quem é dedicado.

Em Mogadouro, dois jovens, o “velho” e o “mordomo”, percorrem a localidade a pedir lenha, o "cepo" que servirá para almentar a grande fogueira que arde no largo da aldeia para celebrar o novo ano.

Outros rituais 

12 passas

Comer 12 passas às 12 badaladas da passagem do ano é um ritual de que muitos portugueses não abdicam. Subir a uma cadeira (com a versão de descer dela com o pé direito), ou ter uma nota na mão ou no bolso são também tradições comuns. 

 

Fogos e barulho

No mundo inteiro, o Ano Novo começa entre fogos de artifício, buzinadelas, apitos e gritos de alegria. Em Portugal é usual bater-se em tampas de tachos e panelas. A tradição é muito antiga e, dizem, serve para espantar os maus espíritos.

 

Roupa nova

Vestir uma peça de roupa que nunca tenha sido usada ajusta-se ao espírito de renovação. O costume é universal e aparece em várias versões, como trocar os lençóis da cama e usar uma roupa de baixo nova. Aqui as cores também desempenham um papel importante. Se a intenção é ter sorte no amor, deve estrear-se uma peça vermelha.

Já se a ideia é melhorar a carreira profissional, deverá vestir-se de castanho.

Para resolver os problemas económicos, aconselha-se a vestir uma peça de roupa amarela e colocar uma nota dentro do sapato.

Atrair boa sorte em geral é com uma peça azul.

  

Romãs e Louro

Há sempre várias versões para uma mesma supestição. Para atrair dinheiro há quem defenda que se deve roer sete sementes de romã na noite da passagem de ano, embrulhá-las num guardanapo e guardá-las na carteira. Em alternativa pode colocar uma folha de louro na carteira e deixa-a lá o ano inteiro.

Além de não passar o ano de bolsos vazios, há quem acredite que não se deve vestir roupa apertada, descosida, rasgada ou sem os devidos botões.

Não só a roupa que se veste mas também a casa merece um ritual específico. Limpá-la e arrumá-la, varrendo a casa de trás para a frente no sentido positivo, despejar o lixo e trocar as lâmpadas fundidas são passos essenciais.

 

Fonte: EXPRESSO

 


Os interessados em tirar um curso de especialização tecnológica (CETs) nas áreas de Turismo, Multimédia e Construção Civil vão poder fazê-lo no Instituto Piaget de Macedo de Cavaleiros ou de Mirandela. As inscrições estão já abertas.

Como os cursos são subsidiados ao abrigo do Programa Operacional do Potencial Humano (POPH), os formandos ficam isentos de pagar propina tendo ainda direito a receber subsídio de refeição.

Estes cursos são inteiramente direccionadas para o mercado laboral. Cerca de um terço da carga horária decorre num contexto de trabalho, proporcionando, deste modo, uma aprendizagem num ambiente empresarial de contacto com potenciais empregadores.

Podem inscrever-se num CET os titulares de um curso de ensino secundário ou habilitação equivalente, ou quem tenha concluído todas as disciplinas do 10º e 11º ano e tenha estado inscrito no 12º ano. Podem igualmente inscrever-se os titulares de uma qualificação profissional de nível III ou de um diploma de especialização tecnológica, bem como os maiores de 23 anos cuja experiência profissional revele capacidade para frequentar o CET em causa.

Em Macedo de Cavaleiros existem 16 vagas para o curso de Animação em Turismo de Natureza e Aventura, cujas saídas profissionais são o planeamento, organização e execução de um conjunto integrado de actividades lúdico-educativas que, valorizando o contacto com a natureza, associam a destreza, o desafio ou a experimentação em novas situações e contextos.

Ainda neste campus abrirá o curso de Desenvolvimento de Produtos Multimédia, com um total de 20 vagas. As saídas profissionais são a concepção, planeamento e desenvolvimento de soluções de informação e comunicação recorrendo a tecnologia multimédia.

No campus Universitário de Mirandela vai decorrer o curso de Condução e Acompanhamento de Obra, com um total de 15 vagas. Este curso deverá preparar os formandos para o Planeamento e coordenação de obras em estaleiro, controlo de qualidade dos materiais e processos produtivos.

 


O concelho de Alfândega da Fé vai dispor te uma “Escola de Pais” cujo principal objectivo é formar pais emocionalmente competentes. O projecto partiu da iniciativa da Câmara Municipal que, deste modo, pretende dar resposta a famílias com crianças com necessidades especiais, mas também a outras famílias e profissionais que lidam de perto com pessoas que têm algumas incapacidades. Neste concelho estão identificadas cerca de 60 pessoas com necessidades especiais.

A Escola de Pais de Alfândega da Fé vai começar a funcionar no próximo mês de Fevereiro nas instalações da Biblioteca Municipal. Todos os interessados podem formalizar a inscrição junto deste serviço municipal.

Os cursos têm duração de 30 a 50 horas, distribuídas por duas a três horas, uma vez por semana, num horário a decidir pelos formandos. A formação está aberta à participação de todos os pais, educadores e outros técnicos interessados em adquirir e melhorar as competências para lidar com crianças, especialmente crianças com necessidades especiais.

Esta será uma forma de suprir algumas das dificuldades sentidas pelos pais, que vão encontrar neste serviço um local de troca de experiências e vivências e, sobretudo, de aprendizagem.

O serviço da escola permitirá que os pais possam deixar os filhos ao cuidado de voluntários, durante o tempo que decorrem as acções de formação. Neste espaço, as próprias crianças vão poder desenvolver diversas actividades lúdico-educativas.

publicado por Lacra às 09:12
29 de Dezembro de 2009

A direcção do Bloco de Esquerda de Bragança acusa a EDP de mentir e de ir contra a Declaração de Impacte Ambiental da barragem do Tua. É que a declaração impõe à EDP que encontre uma alternativa de mobilidade, incluindo estudo de viabilidade de construção de um novo troço de linha de ferrovia, caso avance com a construção da futura barragem.

A EDP já anunciou que não vai apresentar nenhuma proposta, prevendo-se assim que fiquem submersos 16 quilómetros de linha.

Depois da reacção dos autarcas, a direcção do BE de Bragança emitiu hoje um comunicado opondo-se "veementemente" contra o encerramento compulsivo da Linha:


"O Bloco de Esquerda vem desta forma opor-se de forma veemente a este encerramento compulsivo e alertar as populações para os inevitáveis prejuízos para o país, a região e os seus habitantes

A Linha do Tua garante um inegável serviço público de transporte no acesso ao Porto (via linha do Douro) e a Mirandela, podendo tornar-se uma via estruturante e fundamental para a região se for garantida a reabertura da Linha do Douro até Barca de Alva, bem como uma futura ligação a Sanábria em Espanha e tornar-se um importante pólo de dinamização turística se for modernizada a sua estrutura ferroviária e dimensionada para esta vertente. Todos conhecem a importância de bons serviços públicos de transportes para economizar custos energéticos e a importância fundamental e estratégica do transporte ferroviário.

A construção da barragem pressupõe ainda a destruição de um património paisagístico ímpar integrado na área classificada pela Unesco como Património da Humanidade, assim como uma via-férrea a todos os títulos notável da engenharia portuguesa que integra, junto de Foz-Tua, a primeira ponte ferroviária construída por Eiffel no nosso país.

A inundação do vale do Tua acarreta também a submersão das terras que são o sustento de muitos agricultores e não será a troco de qualquer indemnização que se apagará em definitivo o prejuízo agrícola e ambiental de todo o vale para as gerações presentes e futuras.

A população de Trás-os-Montes e Alto Douro sabe que não retirou qualquer proveito das barragens construídas no Douro e continuam a ter um abastecimento eléctrico deficiente, com contínuas interrupções e com um custo eléctrico do Kw bem superior às populações vizinhas de Espanha.

A estrutura do Bloco de Esquerda de Trás-os-Montes e Alto Douro apela a toda a população e especificamente à responsabilidade dos autarcas dos concelhos afectados pela barragem para que unam esforços e não deixem destruir com ligeireza uma herança impar que a natureza e o trabalho dos nossos antepassados nos deixou, a troco de um pseudo-progresso que só contribui, sobremaneira, para aumentar os lucros da EDP e dos seus gestores em detrimento dos altos interesses do país e da região transmontana".


A EDP não vai apresentar nenhuma proposta para construir uma nova linha férrea entre Foz-Tua e a zona da futura barragem, em Carrazeda de Ansiães. A alternativa ao troço inundado será o transporte rodoviário.

A Declaração de Impacte Ambiental (DIA) que permite à EDP construir uma barragem hidroeléctrica junto à foz do rio Tua também a obriga a encontrar uma alternativa de mobilidade, incluindo o estudo da viabilidade de construção de um novo troço de ferrovia. É que os últimos 16 quilómetros da Linha do Tua vão ficar debaixo de água, impedido definitivamente o metro de Mirandela de fazer a ligação à Linha do Douro.

A empresa tem até Julho do próximo ano para apresentar ao Governo o projecto da barragem, bem como todas as soluções para as exigências da DIA. Apesar de ainda não haver nada de definitivo, Paulo Vasconcelos, da EDP produção, diz que "o projecto não vai contemplar a construção de uma nova linha ferroviária".

Durante um debate sobre os impactos da barragem na região abrangida, realizado em Carrazeda de Ansiães, aquele responsável adiantou que a proposta para o transporte quotidiano, entre Foz-Tua e Brunheda vai ser feito "em autocarro e táxi", sendo que está a ser considerada a possibilidade de utilizar transportes não poluentes. Da Brunheda a Mirandela poderá perfeitamente voltar a ser utilizado o metro, dado que esse troço não sofrerá qualquer alteração por causa da barragem.

Para efeitos turísticos, a proposta deverá passar por um transporte em autocarro até um cais a ser criado na margem do concelho de Alijó. A partir dali recorre-se a um barco para fazer a travessia do vale do Tua até um outro cais a criar na Brunheda, onde se poderá apanhar o comboio até Mirandela.

Entre os presentes duvidou-se das intenções da EDP e da sua ideia de abandonar, logo à partida, a possibilidade de construir um novo caminho-de-ferro numa cota superior à albufeira. Pedro Vasconcelos reagiu sublinhando que "seria impossível vencer os 100 metros de altitude de diferença entre a Estação de Foz-Tua e o paredão da barragem (cerca de dois quilómetros). A ser a uma opção, uma nova linha ferroviária "teria de ir para o concelho de Alijó e voltar para o de Carrazeda, obrigando à construção de duas novas pontes". Tendo em conta que se vai trabalhar numa zona "sensível" e os "elevados custos financeiros" de tal empreitada, o responsável frisou que "uma nova linha inviabilizaria o projecto da barragem".

O presidente da Câmara de Carrazeda de Ansiães, José Luís Correia, é favorável à construção da barragem do Tua, mas também gostaria de manter a linha de comboio. Por isso, recomendou à EDP: "Vamos lá ter imaginação!" Acredita que com boa vontade será possível encontrar uma solução para construir uma nova via-férrea alternativa aos 16 quilómetros que vão ser inundados e ligá-la ao troço não atingido. "Nem que seja através de um sistema de elevação. É que não tem muita piada interromper a ligação à linha do Douro".

 

Fonte: Jornal de Notícias

publicado por Lacra às 17:06

Um desabamento de pedras na EN218 interrompeu a circulação automóvel entre Carção e Vimioso.

A intensa chuva dos últimos dias estará na origem desta queda de pedras para a estrada.

Aconteceu durante a noite, mas não há danos materiais a registar.

Parte da estrada esteve interdita ao trânsito porque a pedra que caiu é de grandes dimensões e está a ocupar metade da via.

A circulação automóvel fez-se de forma alternada.

“Aquela estrada entre Carção e Vimioso está muito sujeita a estas situações porque há muita rocha e com a chuva que tem caído, um pedregulho muito grande desabou para a estrada” contou o presidente da câmara de Vimioso, acrescentando que “logo que tivemos conhecimento, fez-se a sinalização do local, bombeiros e GNR tomaram conta do ocorrência e neste momento estamos a tentar resolver a situação o mais rápido possível em conjunto com a Estradas de Portugal”.

José Rodrigues adianta que no local estiveram máquinas para tentar remover o pedregulho. “Mandámos para lá as nossas máquinas e vamos ver se com elas conseguimos resolver a situação” referiu. “Trata-se de um pedregulho de grandes dimensões e não sei se as nossas máquinas conseguirão, ou não, retirá-lo, senão teremos de pensar noutra forma para colocar aquela zona transitável” salientou.

Fonte: Brigantia

publicado por Lacra às 16:06

 A EDP continua a não apresentar uma solução viável ao transporte de passageiros entre Brunheda e Mirandela quando barragem de Foz do Tua for construída.

O Município de Mirandela ainda não tem respostas em relação à hipótese da construção da barragem e sem alternativa em relação aos 16 quilómetros de linha ferroviária que vão ficar submersos, situados entre Brunheda e Mirandela.
O projecto que a EDP tem para apresentar ao governo, até Julho do próximo ano, só apresenta como alternativa, o transporte de autocarro ou táxi entre a Foz do Tua e a estação da Brunheda.
José Silvano, presidente da Câmara de Mirandela sempre considerou ser impossível encontrar uma alternativa para transportar passageiros nos quilómetros que irão ficar submersos.
Para o autarca, o melhor para a região não passa pela construção da barragem mas sim pela linha ferroviária. “O que eu disse na altura foi que, ou se estava a favor da barragem e contra a linha ou vice-versa, porque uma não é coincidente com a outra. Na minha opinião, continuo a dizer, o melhor é a linha. Continuarei a defender até ao fim que deve existir a linha em detrimento da barragem porque a linha pode ser um factor decisivo no futuro turístico da região, e a barragem para mim com a albufeira a chegar apenas a Brunheda não vai servir nada nem ninguém em termos turísticos”, acrescendo “esta posição é evidente que só se mantém até estar decidido politicamente se se vai fazer ou não a barragem, agora o Governo o decida se quer a barragem ou se quer a linha”. 
Não obstante, se o Governo decidir construir a barragem, a solução para realizar a trajectória entre Brunheda e Mirandela passará pelo metro.
José Silvano, como presidente da administração da Metro de Mirandela deixa o aviso, “a Sociedade Metro Ligeiro de Mirandela não vai ficar responsável pela exploração da linha”, alegando que a empresa não tem capacidade para suportar sozinha os custos que a manutenção acarreta.
José Silvano refere que “já que é a EDP, a CP, a REFER e o Governo quem tomam essa decisão então que sejam eles que criem uma empresa e que suportem os custos dessa ligação, porque a Câmara sai da Sociedade Metro Ligeiro de Mirandela nessas circunstâncias”.
População e entidades locais à espera de respostas de Governo, da EDP, da CP, REFER e Governo para resolver o problema de transporte, com a possibilidade cada vez mais certa da linha do Tua vir a ficar submersa em 16 quilómetros da sua extensão.


Fonte: RBA

publicado por Lacra às 16:05

Uma forte enxurrada assolou esta manhã a vila de Mogadouro. Garagens inundadas, vias de trânsitos cortadas, muros destruídos, terrenos alagados, automóveis “atascados” que tiverem de ser rebocados, foi este um pouco do cenário vivido. O Ponto mais crítico foi a zona da avenida do Sabor, onde em alguns locais a agua ultrapassou o metro de altura. 

As preocupações dos agentes da Protecção Civil centraram-se nos reservatórios de água de uma clínica de hemodiálise para que a mesma não fosse contaminada, situação que foi evitada.

Devido a tromba de água, houve infraestruturas que não aguentaram a drenagem situação que levou ao levantamento de tampas de saneamento e grelhas de drenagem. Em alguns pontos foi necessário a intervenção de máquinas para derrubar muros e passeios para que a agua pudesse escoar.

Segundo António Pimentel, vereador das Obras Públicas no município de Mogadouro, esta situação ficou-se a dever a queda intensa de chuva. Porém não esta colocada de lado uma intervenção pontual para minimizar futuras situações.

A chuva está a provocar alguns transtornos e até várias inundações na região transmontana.

Até agora há a indicação que a água e a derrocada de pedras estão a impedir a circulação na EN219, entre Carção e Vimioso, e também no concelho de Miranda do Douro, na EN 221, na localidade de Vila Chã da Braciosa.

Mas não foram só as rodovias que a intensa queda de chuva afectou.

Dentro da vila de Mogadouro, as enxurradas provocaram alguns transtornos.

Em estabelecimentos da principal avenida da vila, a água chegou a atingir um metro de altura.

Naquela zona, foram quatro as viaturas que ficaram imobilizadas e que tiveram de ser rebocadas.

Há quem diga que há mais de 30 anos que não se via uma situação idêntica em Mogadouro, no entanto a Protecção Civil accionou todos os meios para minimizar a situação, como relata António Pimentel, vereador das Obras Públicas do município de Mogadouro.

Há também relatos de situações pontuais no mundo rural, onde os sistemas de drenagem não deram vasão à enxurrada.

 

Fonte: RBA

 

publicado por Lacra às 15:52



Related Posts with Thumbnails
últ. comentários
obrigado Cris:)
Bem vinda :))
Helder Fráguas sofreu a perda da sua companheira, ...
Para mim e para muita gente a volta às adegas para...
Estou habituado na leitura de blogs on line, adoro...
me llamo fedra soy de santa fe argentina tengo 9 ...
Carissimos,Eu não sei quem inseriu o comentário em...
todos os comentários estão disponíveis e vísiveis.
Como faço para ler os outros comentários ? Ou esse...
deixo aqui o meu comentário; por acaso pude apreci...
subscrever feeds
Locations of visitors to this page
Eu sou Jornalista
pesquisar neste blog
 
Dezembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
19
26
blogs SAPO