Dia-a-dia de um distrito rural, doze concelhos e meia dúzia de pequenas cidades encravadas nas montanhas mais a norte de Portugal
28 de Fevereiro de 2009

 

“Um dia o companheiro abandona-nos e encolhemos os ombros, um dia descobrimo-nos sarcásticos por tudo e fascinados por nada, um dia a própria palavra deslumbre nos dá vontade de gargalhar, um dia a febre da mágoa converte-se na cefalalgia do enfado, um dia chamamos pudor ao horror e afiançamos que jamais havemos de carpir.”

 

O espectáculo está agendado para hoje, às 21h30, no Teatro Municipal de Bragança.

publicado por Lacra às 10:26
27 de Fevereiro de 2009

No âmbito do programa "E agora eu sou Galileu", o Ano Internacional de Astronomia mobiliza astrónomos profissionais e amadores para levar os portugueses a serem Galileu por um dia. Na sexta-feira (27) e no sábado (28), as ruas do país acolhem telescópios para recriar, 400 anos após as primeiras observações de Galileu Galilei, o trabalho do astrónomo. Destinada ao público em geral, a iniciativa visa sensibilizar para o impacto que essas observações tiveram para a ciência. "E agora eu sou Galileu" prolonga-se até ao fim do ano.

 

"Pedimos a todas as pessoas que têm um telescópio que apoiem a iniciativa, promovendo uma sessão de observação na sua localidade", explica a organização do "E Agora eu sou Galileu". Qual é a aparência da Lua? O que são as fases de Vénus? A resposta está ao alcance de todos no próximo fim-de-semana à noite, a partir das 18h30. Basta deslocar-se até um dos vários locais no país em que vão ser asseguradas gratuitamente sessões de observação (Lisboa, Porto, São Pedro do Estoril, Funchal, Bragança, Braga, Espinho, Coimbra, Constância, Aveiro...).

 

As diferentes associações e instituições que, de Norte a Sul, colaboram neste momento ou vão colaborar com o Ano Internacional de Astronomia (AIA2009) procuram reproduzir as observações de Galileu, com meios técnicos mais actuais. No Centro Ciência Viva de Bragança o público vai poder espreitar por uma luneta e, guiado por um caderno informativo especialmente criado para as observações, reviver os passos de um dos mais famosos astrónomos. 

 

"O projecto "E agora eu sou Galileu" tem por objectivo levar até o público o conhecimento das observações que Galileu fez e fazer perceber a importância que essas observações tiveram para a ciência em geral e, em particular, para a astronomia", frisa José Afonso, do Observatório de Astronomia de Lisboa. O coordenador nacional da actividade sublinha ainda que se trata de informar e ensinar todos os públicos, jovens e adultos, e ajudá-los a interpretar as observações de Galileu à luz do que ele sabia e à luz do que se sabe hoje. "As observações de Galileu estão na base de uma revolução do conhecimento", lembra o responsável.

 

Cada sessão do "E agora eu sou Galileu" é subordinada a um tema, isto é, a uma das observações de Galileu: as fases de Vénus, as luas de Júpiter, os anéis de Saturno, a topologia da Lua ou as manchas solares estão, alternadamente, no centro das atenções, em função da sua visibilidade. Entre Fevereiro e Dezembro, já foram escolhidas 14 datas em que o público poderá participar nessa iniciativa original e aprender mais sobre o Universo.

 

Para mais informações, os interessados poderão consultar a página do Ano Internacional de Astronomia em que estará disponível toda a informação actualizada e o caderno de observações.

O Ano Internacional de Astronomia é organizado em Portugal pela Sociedade Portuguesa de Astronomia, com o apoio da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT), da Fundação Calouste Gulbenkian, o Ciência Viva e a European Astronomical Society (EAS).

 

 

Mais informações:

Astronomia


Astronomia 2009

 

 

Datas previstas:

27 de Fevereiro (Sexta-feira) e 28 de Fevereiro (Sábado)

3 de Abril (Sexta-feira) e 4 de Abril (Sábado)

16 de Maio (Sábado)

29 de Maio (Sexta-feira) e 30 de Maio (Sábado)

19 de Junho (Sexta-feira) e 20 de Junho (Sábado)

11 de Julho (Sábado)

18 de Julho (Quarta-feira)

7 de Agosto (Sexta-feira) e 8 de Agosto (Sábado)

18 de Setembro (Sexta-feira) e 19 de Setembro (Sábado)

25 de Setembro (Sexta-feira) e 26 de Setembro (Sábado)

2 de Outubro (Sexta-feira) e 3 de Outubro (Sábado)

24 de Outubro (Sábado)

14 de Novembro (Sábado)

27 de Novembro (Sexta-feira) e 28 de Novembro (Sábado)

 

 

 

publicado por Lacra às 11:09
26 de Fevereiro de 2009

 Puebla de Sanábria vai acolher, amanhã e Sábado as primeiras Jornadas Micológicas do Programa de Cooperação Transfronteiriço Espanha-Portugal.

No encontro será apresentado um projecto europeu que tem como chefe de fila a câmara de Vinhais e no qual participa também o “Ayuntamiento” de Puebla de Sanábria.

Nas jornadas colaboram ainda 18 estabelecimentos de restauração da comarca espanhola.

publicado por Lacra às 12:33

 A artista cabo-verdiana Cármen Souza sobe hoje ao palco do Teatro Municipal de Bragança para mais uma "noite fria, vozes quentes".

Com  26 anos, nascida em Portugal, filha de pais Cabo-verdianos, lançou o seu primeiro disco “Ess ê nha Cabo Verde” em 2005 como artista independente. Este disco foi distribuído em vários países da Europa, África e América do Norte conquistando airplay em diversas rádios em Espanha, Uk, França, Holanda, Alemanha, Rússia, Polónia, Cabo Verde, Canada, USA, etc. A recepção por parte da press internacional não podia ter sido melhor a julgar pelas excelentes criticas geradas em vários países e o seu trabalho foi considerado, e é reconhecido, no mercado de ‘World Music’ como único e inovador, reflectido a evolução da Musica Cabo-verdiana.

O seu novo disco "Verdade" apresenta um repertório totalmente original, com 100% das letras em crioulo, e com uma co-produção que divide com Theo Pas’cal, numa receita musical de qualidade superior que mistura com eficiência os ritmos tradicionais cabo-verdianos com influências mais contemporâneas do jazz/ fusão.

A actuação está marcada para hoje, às 21h30, no TMB.

 

Para mais informações ver o site da artista

 

publicado por Lacra às 10:00
25 de Fevereiro de 2009

O Hospital Duque de Bragança e o Hospital Terra Quente vão ser geridos pela Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário (CESPU). Este foi o modelo encontrado pelo presidente do grupo CESPU, Almeida Dias, para assegurar a rentabilização dos dois equipamentos que vão nascer e, ao mesmo tempo, a fixação de profissionais na região.

O grupo CESPU vai ser ainda o responsável pela futura Escola Superior de Saúde e Gestão, que nascerá no actual ISLA, integrando o espaço do novo hospital e possibilitando aos alunos a “formação em contexto real de trabalho”.

No entender de Almeida Dias, essa é mesmo a mais-valia deste projecto: “em nenhum momento abandonamos o nosso principal objectivo que é formar profissionais de saúde”.

Apesar do ensino de Medicina estar vedado ao sector privado, o presidente do grupo CESPU acredita que a gestão conjunta dos dois hospitais representa um factor de atractividade para os médicos que assim “têm um mercado mais rico do que se trabalhassem de forma isolada num desses projectos”.

O projecto para a construção do Hospital Duque de Bragança encontra-se, para já, em fase de licenciamento e a sua construção vai iniciar-se após esse período num terreno contíguo ao ISLA, de 20 mil metros quadrados. O investimento ascende aos 20 milhões de euros e visa criar 120 postos de trabalho, directos e indirectos. O capital social é de 1,5 milhões de euros repartidos em 60 por cento da CESPU Serviço de Saúde SA e 40 por cento de investidores privados locais.

A autarquia brigantina apoia o projecto mas apenas em termos institucionais podendo, futuramente, vir a integrar o capital social.

“Não somos accionistas do projecto mas damos o apoio pois a região é carente ao nível dos serviços de saúde”, explicou Jorge Nunes, autarca brigantino.

A CESPU pretende ainda vir a assumir uma posição interventiva na região do Tâmega e Sousa e na Espanha para que, a par com a Trás-os-Montes e Alto Douro e com a região do Cávado e do Ave, seja assegurada dimensão, massa crítica e escala a todo o projecto.

O autarca brigantino considera ainda que o novo hospital Duque de Bragança, assim como a nova Escola de Saúde, não vão colidir com o trabalho das instituições existentes, são antes “projectos de complementariedade”. 

 

Protocolo com Santa Casa assegura Cuidados Continuados

 

Os promotores do projecto assinaram também um protocolo com a Santa Casa da Misericórdia em que o grupo CESPU se compromete a criar instalações para os Cuidados Continuados, ficando a gestão a cargo da Santa Casa.  São 46 quartos complementados por mais 30 quartos das residências geriátricas e 10 quartos do Lar/Residência, que serão geridos também pela Santa Casa.

O grum

O Hospital Duque de Bragança terá as áreas médicas de Medicina Interna, Cardiologia, Pediatria, Gastrenterologia, Neurologia, Dermo-venerologia, Pneumologia, Psiquiatria e Endocrinologia/Nutrição. A nível das áreas cirúrgicas o hospital estará dotado de Cirurgia Geral, Ortopedia, Urologia, Otorrinolaringologia, Oftalmologia, Obstetrícia/Ginecologia. Outros áreas que o novo equipamento de saúde contempla são Anestesiologia, Anatomia Patológica, Patologia Clínica, Radiodiagnóstico, Medicina Física e de Reabilitação, Podologia, Psicologia, Terapia da Fala e Medicina Dentária.

O Hospital Duque de Bragança terá ainda duas salas cirúrgicas e uma sala de partos.

 

 

24 de Fevereiro de 2009

A Câmara Municipal de Vinhais, vai promover nos dias 24 e 25 de Fevereiro, várias actividades relacionadas com o Carnaval, entre as quais se destacam, na terça-feira, o Desfile de Carnaval, enterro do Rei Momo e  leitura do testamento, no Largo do Arrabalde, o Baile de Mascaras com concurso, no  Salão dos Bombeiros Voluntários de Vinhais, com a actuação da banda  “J.F.”  Quarta-Feira de Cinzas, “A Morte e os  Diabos” voltam a sair às rua da vila, para cumprir os antigos rituais. 

23 de Fevereiro de 2009

António Feio e José Pedro Gomes voltam a juntar-se em palco para um espectáculo de chorar a rir. Desde 1997, quando a dupla humorística começou com "Conversa da Treta", qualquer pretexto é o ideal para falar, falar, falar... de tudo e mais alguma coisa. No dia 23 de Fevereiro no Cine-Teatro de Torre de Moncorvo.

Desta vez, Toni e Zezé vão levantar dinheiro ao multibanco. Não podia haver melhor pretexto para falar do preço do petróleo, do aumento de juros, da saúde, da educação e das operações plásticas.

Conversa puxa conversa. Neste caso, conversa da treta porque os dois homens pertencem à espécie do "Chico-Espertus Lusitanus". Ou seja, ainda muito longe de estar em vias de extinção.

Neste trabalho, além de representarem, António Feio e José Pedro Gomes assinam também a encenação.

publicado por Lacra às 10:56

Uma operação levada a cabo este fim-de-semana pela PSP em Bragança resultou em sete detenções, dezenas de multas no trânsito e na apreensão de milhares de músicas pirateadas, divulgou aquela força de segurança.

Segundo disse à Lusa o comandante distrital da PSP de Bragança, Amândio Correia, a operação foi realizada no âmbito do planeamento anual da Direcção Nacional da PSP "e teve como objectivo promover uma atitude pró-activa e de visibilidade das autoridades para um sentimento de segurança dos cidadãos".

As acções realizaram-se nas cidades de Bragança e Mirandela, visando o combate à criminalidade, à prática de infracções rodoviárias e a fiscalização de estabelecimentos nocturnos e envolveram cerca de oitenta polícias do comando distrital de Bragança, que contaram com o reforço dos comandos de Viseu e Vila Real.

Durante as doze horas que estiveram na rua, os elementos da PSP detiveram três condutores embriagados, um indivíduo com 43 doses individuais de haxixe e duas mulheres de nacionalidade brasileira por permanência ilegal no país.

De acordo com dados fornecidos pelo comandante distrital de Bragança, foram ainda levantadas 11 contra-ordenações por álcool e detectadas e punidas 90 infracções por excesso de velocidade.

A operação incidiu também nos bares das duas cidades, tendo sido fiscalizados 23 e levantados seis autos de notícia pelo crime de usurpação e uma contra-ordenação.

Segundo explicou o comandante Amândio Correia, esta vertente da operação contou com o apoio de oito elementos da Inspecção Geral das Actividades Culturais e incidiu sobre os direitos de autor das músicas utilizadas nos estabelecimentos.

As autoridades apreenderam dois computadores portáteis com cinco mil ficheiros (músicas) usurpadas, 197 CD, um PEN com mil músicas e um computador com mais dez mil músicas, além de um IPOD.

Na fiscalização feita aos estabelecimentos foram ainda detectadas seis infracções ao nível do funcionamento, apreendida uma bisnaga de gás de defesa pessoal e levantado um auto por posse de haxixe.

publicado por Lacra às 10:19

A Exposição de Fotografia, intitulada "Detalhes em Ferro", está patente no auditório do Museu do Ferro & da Região de Moncorvo, até ao final do mês de Março.

Corrimões, varandas, gradeamentos, em ferro forjado e fundido, são captados magistralmente, em vários “detalhes”, jogando com os ângulos e projecções de luz e sombra. Estes “testemunhos” da antiga arte dos ferreiros estão “por aí”, distribuídos pelo nosso quotidiano, sem que deles dêmos conta. Aqui os temos agora, valorizados pelo olho arguto do fotógrafo e pela sua mestria no manejo da objectiva.
O autor, Aníbal Gonçalves, natural de Zedes, concelho de Carrazeda de Ansiães, é presentemente professor de Matemática e Ciências Naturais na E.B. 2,3/S de Vila Flor, tendo já leccionado em Torre de Moncorvo. Além da fotografia, os seus interesses passam também pelo pedestreanismo, BTT, e o património cultural e natural em geral, de onde colecciona e selecciona imagens que distribui pela blogosfera (é o autor da série de Blogs intitulados “À descoberta de …”: Carrazeda de Ansiães, Vila Flor, Torre de Moncorvo, Freixo de Espada à Cinta, Mogadouro, Miranda do Douro, além de ornitologia, gastronomia, etc.).
Dedica-se à Fotografia desde há bastantes anos, tendo realizado, em 2008, no Centro Cultural de Vila Flor, uma exposição de temática associada às artes do ferro, sob o título “Testemunhas”.
Esta mostra é uma proposta do Museu do Ferro para o período da Amendoeira em Flor.

 

publicado por Lacra às 10:00
22 de Fevereiro de 2009

O presidente da Câmara de Bragança considerou hoje "uma irracionalidade" o Instituto de Conservação da Natureza (ICNB) ainda não se ter manifestado sobre a possível instalação de uma pedreira espanhola na fronteira, contígua ao Parque Natural de Montesinho.

A posição de Jorge Nunes surge na sequência de uma denúncia da Associação Protectora do Rio Maças, que classifica de "preocupante" o que se está a passar no lado espanhol e que as autoridades portuguesas ligadas ao Ambiente, contactadas pela Lusa, desconhecem.

De acordo com documentação oficial e da imprensa espanholas distribuída pela associação, encontra-se em discussão pública, pelo período de 30 dias, o Estudo de Impacto Ambiental do projecto da pedreira.

Segundo os documentos, a empresa de Leon, Hésperica de Obras, pretende instalar uma exploração de quartzo próximo da localidade espanhola de Nuez.

O local da exploração fica junto ao rio Maças, que faz a fronteira entre Portugal e Espanha, sendo Quintanilha a localidade portuguesa mais próxima e com vista para a pedreira.

Para a associação ambientalista sedeada na aldeia portuguesa, o projecto da pedreira a céu aberto é "preocupante" pelas consequências ambientais para o rio, para a população de Quintanilha e para as acções que está a desenvolver em defesa do Maças, que se tornou num procurado local de passeio e lazer, sobretudo no Verão.

O presidente da Câmara de Bragança, Jorge Nunes, que disse já ter solicitado informação à autoridade do Ambiente de Espanha, aponta o dedo ao ICNB.

"Se há tantos impedimentos para um agricultor levar os seus rebanhos a pastar, se levar os seus animais é só complicações, aquilo (pedreira) não é uma complicação?", questionou.

O autarca realçou não estar a fazer juízos de valor sobre o projecto, que pode não ser negativo, mas entende que "o ICNB tem responsabilidades e deve acompanhar esse processo".

Contacto pela Lusa, o ICNB alegou não ter responsabilidade sobre esta matéria, remetendo para a Agência Portuguesa do Ambiente.

Neste organismo foi dito à Lusa não existir qualquer informação acerca da pedreira espanhola.

Disseram, no entanto, que a legislação comunitária obriga os estados-membros a informar os vizinhos sempre que um projecto fronteiriço tem impactes no outro lado da fronteira.

A Agência Portuguesa do Ambiente sugere que as autoridades locais lhe façam chegar "informação por escrito" sobre o processo.

Sugeriu ainda que seja contactada a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDRN) para saber se tem alguma informação sobre o assunto.

A Lusa pediu esse esclarecimento junto da CCDRN, sem que ainda ter obtido uma resposta.

publicado por Lacra às 10:42



Related Posts with Thumbnails
últ. comentários
obrigado Cris:)
Bem vinda :))
Helder Fráguas sofreu a perda da sua companheira, ...
Para mim e para muita gente a volta às adegas para...
Estou habituado na leitura de blogs on line, adoro...
me llamo fedra soy de santa fe argentina tengo 9 ...
Carissimos,Eu não sei quem inseriu o comentário em...
todos os comentários estão disponíveis e vísiveis.
Como faço para ler os outros comentários ? Ou esse...
deixo aqui o meu comentário; por acaso pude apreci...
subscrever feeds
Locations of visitors to this page
Eu sou Jornalista
pesquisar neste blog
 
Fevereiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
15
blogs SAPO